Economia

Indicador Ipea cresce 2,2% nos investimentos entre junho e julho


Fernando Frazão/Agência Brasil
Rio de Janeiro - Trabalhadores da construção civil, operários reformam telhado de imóvel em obras no Centro do Rio. (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

O Indicador Mensal de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado hoje (4), no Rio de Janeiro, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), registrou avanço de 2,2% em julho frente a junho deste ano, na série com ajuste sazonal. Assim, o trimestre móvel terminado em julho teve alta de 3,3%. No resultado acumulado em 12 meses, os investimentos apresentaram expansão de 16%.

A FBCF é composta por máquinas e equipamentos, construção civil e outros ativos fixos. A evolução do indicador representa aumento da capacidade produtiva da economia e reposição da depreciação do estoque de capital fixo.

Segundo o Ipea, o consumo aparente de máquinas e equipamentos alcançou expansão de 3,9% em julho, mas encerrou o trimestre móvel com queda de 15,1%. Enquanto a produção de máquinas e equipamentos para o mercado interno apresentou crescimento de 18,7% em julho, a importação caiu 26,2% no mesmo período. No acumulado em 12 meses, o investimento em máquinas e equipamentos acusou alta de 24,3%.

Quinta alta

Já o indicador de investimentos em construção civil avançou 3,7% na série dessazonalizada, sendo a quinta alta consecutiva. Com esse resultado, o segmento anotou crescimento de 13,6% no trimestre móvel.  

“Na comparação interanual, o bom desempenho também foi generalizado. O destaque ficou por conta do componente de máquinas e equipamentos, que avançou para um patamar 30,5% superior a julho de 2020. Enquanto o componente de outros ativos fixos aumentou 18,2%, a construção civil teve alta de 28,8%. Na comparação trimestral, os resultados também foram positivos”, finalizou o Ipea.


Notícias relevantes: