Economia

Lançamento de imóveis aumenta 69% no trimestre encerrado em julho


Diogo Moreira/MáquinaCW
Imagens da Cidade de São Paulo e Zoológico da Capital Paulista. Local: São Paulo/SP. Data: 27/03/2019. Foto: Governo do Estado de São Paulo
Crédito: Diogo Moreira/MáquinaCW

O indicador Abrainc-Fipe do último trimestre móvel - maio, junho e julho - mostrou alta de 69,5% no lançamento de imóveis, em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, foram lançadas 35.047 unidades habitacionais nesses três meses.

Os dados são de levantamento realizado com 18 empresas associadas à Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

No balanço parcial de 2021, considerando os sete primeiros meses do ano, o número de unidades lançadas é 58,7% maior do que o mesmo período do ano passado e totaliza 68.754 unidades. Nos últimos 12 meses, encerrados em julho, os lançamentos chegaram a 146.508 novas unidades oferecidas no mercado, o que corresponde a um aumento de 35,4% em relação ao 12 meses precedente.

Em relação às vendas, foram comercializadas 39.355 unidades no mesmo trimestre móvel, o que representa aumento de 12,8% na comparação com o mesmo período de 2020. No balanço parcial de 2021, 85.690 unidades foram vendidas, representando alta de 19% em relação a igual período do ano anterior. Nos últimos 12 meses, encerrados em julho de 2021, as 152.231 unidades foram vendidas, o que levou a uma alta de 25,7% em relação ao intervalo anterior.

As vendas líquidas – que correspondem ao volume de vendas excluindo-se contratos rescindidos – no mesmo período também foram positivas: altas de 18,5%, no último trimestre móvel; 22,4%, no acumulado do ano; e 29,1%, nos últimos 12 meses.

“A leitura dos últimos resultados dos indicadores reforça a manutenção do ciclo positivo vivido pela incorporação imobiliária nos últimos 12 meses, apoiado nas condições favoráveis do crédito imobiliário, que reduzem o valor das parcelas do financiamento, além da manutenção de programas, subsídios voltados para o segmento habitacional (Programa Casa Verde Amarela), que ainda respondem pela maioria dos novos imóveis lançados e comercializados no mercado”, divulgaram, em nota, as entidades que desenvolveram o indicador, Abrainc e Fipe.

Residencial

O índice é composto majoritariamente por imóveis residenciais, passando de 99% dos lançamentos e de 98% das vendas, considerando este último levantamento, com dados que se encerraram em julho.

Considerando, então, o quesito residencial, os empreendimentos enquadrados ao Programa Casa Verde Amarela (CVA) mantiveram sua representatividade tanto entre os lançamentos (74,8%) quanto vendas (82,7%) concretizadas nos últimos 12 meses.

Em relação às unidades lançadas, o segmento registrou alta em todos os recortes temporais considerados no levantamento: 6,2% no último trimestre móvel, 22,2%, no acumulado do ano, e de 19,8%, nos últimos 12 meses. Considerando as vendas, foram registradas altas de 8,9% no último trimestre móvel, 18,5% no acumulado do ano, e 28,4%, nos últimos 12 meses.

O desempenho do segmento residencial de Médio e Alto Padrão (MAP) apresentou crescimento expressivo dos imóveis lançados no mercado imobiliário: no último trimestre móvel, houve aumento de 477,7% em relação ao mesmo período de 2020; alta de 235,6%, no acumulado do ano; e de 117,1%, em 12 meses. No desempenho das vendas, o último trimestre móvel teve elevação de 41,7%, aumento de 23,8% no acumulado em 2021, e uma alta de 16,8%, nos últimos 12 meses.

Na análise divulgada, as entidades afirmam que o setor das incorporadoras abre o segundo semestre em alta impulsionada por segmento de médio e alto padrão. Além disso, “resultados destacam também a acomodação do segmento Casa Verde Amarela, com números positivos mas menos expressivos”.


Notícias relevantes: