Economia

Bolsa cai 10%, aciona 'circuit breaker' e é suspensa pela 2ª vez na semana

A Bolsa brasileira teve as negociações suspensas temporariamente hoje, na segunda vez na semana, ao atingir tombo de mais de 10%. Por volta das 15h15, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira operava em queda de 10,11%, o que acionou o "circuit breaker", mecanismo automático que interrompe os negócios por 30 minutos quando há uma queda de mais de 10% (leia mais abaixo). Depois desse intervalo, ela volta a operar e, para uma nova interrupção, é preciso uma queda de mais de 15%. O "circuit breaker" também foi acionado na segunda-feira, em um dia de caos nos mercados mundiais, pela primeira vez desde 2017. Também por volta das 15h15, o dólar comercial subia 1,69%, a R$ 4,724 na venda. Em todo o mundo, investidores acompanham com cautela a rápida expansão do surto de coronavírus e seus impactos na economia. Ontem, a Bolsa subiu mais de 7%, na maior valorização diária desde 2009. Com isso, recuperou-se parcialmente do tombo histórico de mais de 12% registrado na segunda-feira. Também na véspera, o dólar registrou a maior queda diária em seis meses, de 1,69%, após subir quase 2% na segunda-feira. O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto. Preocupações com o coronavírus Em todo o mundo, os investidores adotavam um tom mais cauteloso à medida que acompanhavam a rápida expansão do surto de coronavírus, que forçou vários governos e bancos centrais a anunciar medidas de emergência para evitar que a doença leve a uma nova recessão econômica. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse ontem que pedirá ao Congresso um corte de impostos sobre salários e outros movimentos de estímulo "muito importantes", mas detalhes ainda não estão claros. "A discussão se volta agora para o cronograma de implementação desse pacote —quando e quanto será de fato implementado, e se outros países seguirão esses passos e aplicarão estímulos para apoiar a economia", disse em nota a XP Investimentos.

Notícias relevantes: