Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Com limite, anúncio do FGTS fica para depois

SIMONE DE OLIVEIRA | 19/07/2019 | 05:01

A notícia de que o governo vai liberar o saque de 35% das contas ativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode trazer alívio para os trabalhadores que precisam de uma grana extra, porém especialistas em finanças dizem que este dinheiro extra deve ser aplicado com cautela para que no futuro não falte para outros investimentos. O teto estimado para o resgate deve ser de, no máximo, R$ 3 mil, com a projeção de injetar R$ 30 bilhões na economia do país. Por conta da pressão do mercado imobiliário, o anúncio da liberação ficou para a semana que vem.

O economista Mariland Francisco Righi diz que a liberação traz certa relevância como estímulo, mas está muito distante de oferecer a recuperação econômica que o país precisa. É como se no mês da liberação o trabalhador tivesse um aumento de, no máximo, 15% de seu salário, porém no mês seguinte, a ‘realidade’ volta ao normal.

“O valor não é tão significativo a ponto de mudar a vida do trabalhador. Será uma média de R$ 200 por brasileiro. Não é desprezível, mas é quase nada como evento de reaquecimento da economia. O que vai reaquecer a economia, do jeito que nós sonhamos, é o aumento dos investimentos”, adianta.

Ele orienta que o valor seja para pagar as dívidas para evitar os juros dependendo do tipo de compra. Segundo Mariland, o clima econômico do Brasil não aconselha grandes gastos, principalmente com o desemprego e as expectativas incertas em torno de reformas. “Os investimentos estão recolhidos e a indeterminação política, econômica, jurídica e social são acentuadas. É temeroso apostar em rendas futuras.”

Independente do valor a ser resgatado, o economista diz que é interessante que o saque seja feito. “A orientação não é deixar o dinheiro parado. O Fundo de Garantia é, na prática, uma poupança forçada dos trabalhadores, quer dizer uma média de 8% sobre o salário, mas a rentabilidade desta aplicação mal cobre a correção monetária. É a menor do que a já reduzida rentabilidade das cadernetas de poupança.”

COMO FUNCIONA
O anúncio das medidas que tratam do saque do FGTS e do PIS/Pasep e seu detalhamento devem ser feitos na próxima semana, provavelmente entre quarta e quinta-feira, adiantou o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Segundo ele, as equipes técnicas do Ministério da Economia ainda trabalham em cima dos ajustes necessários. “Será um medida muito importante para as famílias e os trabalhadores e os detalhes técnicos ainda estão sendo ajustados”, adiantou Onyx.

O ministro afirmou que serão tomadas medidas para garantir que o setor de construção civil não seja afetado, mantendo os recursos para financiamento imobiliário e para o Programa Minha Casa Minha Vida. “Garantimos que nada vai afetar a construção civil. Não vamos usar a parte do FGTS usada para o financiamento de imóveis.”

O vice-presidente de Marketing e Inteligência de Mercado da Proempi, Eli Gonçalves, diz que é preciso ficar atento aos valores exatos dos tetos para a retirada. Quanto menor o valor a ser recebido, menos o setor imobiliário irá aproveitar.

“Haverá uma preocupação com o uso do FGTS porque é um recurso importante para os programas Minha Casa Minha Vida. São valores que serão utilizados para outras finalidades e isto resulta em menos recursos para abastecer os programas habitacionais”, comenta.

 


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/economia/com-limite-anuncio-do-fgts-fica-para-depois/
Desenvolvido por CIJUN