Economia

Contas externas iniciam ano com saldo negativo de US$ 4,31 bilhões

[vc_row][vc_column][vc_column_text]O Brasil registrou deficit em transações correntes, que são compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com o mundo, em janeiro. O resultado negativo ficou em US$ 4,310 bilhões. No mesmo mês de 2016, houve deficit de US$ 5,085 bilhões, de acordo com dados do Banco Central. As informações são da Agência Brasil. [caption id="attachment_2777" align="alignleft" width="300"](Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação)[/caption] A maior parte do resultado negativo veio da conta renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários), com deficit de US$ 4,119 bilhões. A conta de serviços (viagens, transporte, aluguel de investimentos, entre outros) ficou negativa em US$ 2,763 bilhões. O balanço das transações é formado também pela conta de renda secundária (renda gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) que ficou positiva em US$ 174 milhões, no mês. A balança comercial (exportações e importações de mercadorias) contribuiu para reduzir o deficit em transações correntes, ao registrar superavit de US$ 2,398 bilhões no primeiro mês do ano. Quando o país registra saldo negativo em transações correntes, precisa cobrir o deficit com investimentos ou empréstimos no exterior. A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o investimento direto no país (IDP), porque recursos são aplicados no setor produtivo do país. Em janeiro, esses investimentos chegaram a US$ 6,466 bilhões.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Notícias relevantes: