Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Índices apontam maior otimismo na economia

AGÊNCIA BRASIL | 26/11/2018 | 19:28

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), avançou 7,1 pontos de outubro para novembro. Com isso, atingiu 93,2 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos, o maior nível desde julho de 2014 (93,8). Essa foi a segunda alta consecutiva do ICC, que acumula alta de 11,1 pontos no bimestre outubro-novembro, a maior da série histórica iniciada em setembro de 2005. Em novembro, os consumidores estão mais otimistas em relação tanto ao presente quanto aos próximos meses. O Índice de Situação Atual subiu 2,7 pontos, indo para 74,6 pontos, maior nível desde maio (77,2).

Já o Índice de Expectativas cresceu 9,8 pontos e chegou a 106,4 pontos, o maior nível desde fevereiro de 2013 (106,7 pontos). De acordo com a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda, depois de um período de desconfiança, os consumidores voltaram a ficar otimistas em relação às perspectivas econômicas do país, às finanças familiares e ao emprego. Também estão menos insatisfeitos com o presente.

Fecomércio
Um levantamento feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) apontou alta de 6,5% do Índice de Expansão do Comércio (IEC) no mês de novembro, ao passar de 94,8 pontos em outubro para os atuais 101 pontos. O indicador apontou ainda que houve alta de 1,6% na comparação com o mesmo mês no ano passado. Entre os indicadores que compõe o IEC, os dois componentes expressaram aumento em novembro. De acordo com o estudo, o índice que representa a propensão do empresário em investir aumentou 6,4% em relação a outubro, passando de 77,4 pontos para 82,4 pontos no mês atual. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o componente obteve alta de 4,7%.

O item que mede a expectativa de novas contratações subiu 6,6% na mesma base de comparação, com 119,5 pontos em novembro contra 112,1 pontos em outubro. Entretanto, na comparação com o mesmo mês de 2017, o indicador sofreu leve queda de 0,5%. O IEC é apurado mensalmente e reúne dados de 600 empresários. O indicador vai de zero a 200 pontos e representa, respectivamente, desinteresse e interesse absolutos em expansão de seus negócios. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, mas sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.ação com o mesmo mês de 2017, o indicador sofreu leve queda de 0,5%.

Commodities
As exportações brasileiras tiveram um crescimento de 16,6% em outubro, na comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com dados da Fundação Getulio Vargas (FGV), o principal responsável pela expansão foi o setor agropecuário. As exportações agropecuárias cresceram 35,8% no período, com aumento de 17,2% nas vendas da soja e de 15,1% das carnes. Outro segmento que teve desempenho positivo foi a indústria extrativa, que cresceu 32,9% em outubro. Segundo a FGV, fatores como a guerra comercial entre Estados Unidos e China e o aumento no preço de algumas commodities [MERCADORIAS], como o petróleo, foram responsáveis pelo crescimento.T_CONSUMIDOR


Link original: https://www.jj.com.br/economia/indices-apontam-maior-otimismo-na-economia/
Desenvolvido por CIJUN