Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Mercado investe em tecnologia para atender altos míopes

DA REDAÇÃO | 18/11/2018 | 05:02

Vista cansada, dificuldades em ler placas ou livros e visão embaçada são alguns sintomas de quem sofre de problemas de visão como miopia ou hipermetropia, para os quais é sempre recomendado o uso de óculos corretivos. Para quem possui altos graus de miopia, por exemplo, o desafio é fugir da aparência pesada que o formato das lentes acaba deixando. Isso acontece porque para que o foco da visão seja corrigido as lentes em geral possuem espessura maior nas bordas e menor no centro.

No caso de crianças, o fator estético pode ser ainda mais importante, pois os óculos ideais precisam ter resistência, qualidade e agradar aos pequenos, que correm o risco de sofrer com as chacotas na escola. “Sempre fiquei muito frustrada quando precisava fazer óculos de grau, pois o resultado nunca era bom. As lentes saíam grossas e com o famoso efeito de fundo de garrafa. Tudo isso me desencorajava de usar óculos no dia a dia, porque além de ficar feio o peso das lentes machucava o meu nariz”, conta a analista de RH, Amanda Mércuri, de 27 anos, que convenceu os pais a deixarem usar lentes de contato aos 13 anos.

O influenciador digital Guilherme Ferreira, de 28 anos, usa óculos desde os 2 anos de idade por causa de uma hipermetropia de grau elevado. O desafio, comenta, é a dificuldade de encontrar lentes mais finas que combinem com o estilo de suas armações. “Sem contar os preços discrepantes.”

Para a felicidade de altos míopes como Amanda e Guilherme, com o avanço da tecnologia o problema dos óculos “fundo de garrafa” já faz parte do passado. Hoje o usuário míope pode ter a seu favor um acessório com design leve, cheio de estilo e capaz de corrigir os problemas da visão. Isso porque as empresas que fabricam lentes corretivas foram investindo em pesquisas constantes para aprimoramento dos materiais até chegar nas modernas lentes 1.74 e, mais recentemente, nas Lentes Tokai 1.76 fabricadas no Japão.

Makoto Ikegame, fundador da Lenscope, representante exclusiva dessas lentes no Brasil, explica que elas são feitas de resina, o que torna o produto muito mais leve e resistente. “Além da questão estética, o índice de refração mais alto, até então o maior disponível em lentes de resina, garante uma espessura mais fina sem perder a qualidade da visão”, destaca. As Lentes Tokai 1.76 proporcionam lentes ainda mais finas que as lentes 1.74 e cerca de 30% mais finas que as lentes 1.67. O índice de refração quantifica o poder da matéria-prima da lente de mudar a direção dos raios de luz e, assim, acertar o foco. Quanto maior for essa taxa, menor é a espessura necessária para dar nitidez à visão.

As lentes japonesas Tokai 1.74 e 1.76, por exemplo, aliam o alto índice de refração ao material de resina, tendo um resultado ainda melhor com relação à resistência e leveza dos óculos. Além disso, as lentes são asféricas e mais planas, o que garante a distribuição uniforme do material, por isso, elas ficam mais finas e com menos distorções. Fabricadas no Japão com a mais alta tecnologia, as lentes Tokai são produzidas e vendidas no Brasil somente por meio da internet exclusivamente pela Lenscope. Elas vêm acompanhadas dos tratamentos necessários para melhorar a qualidade da visão como antirreflexo, antirrisco e proteção UV.

Recentemente, Amanda resolveu testar as lentes Tokai 1.76 depois de ser atraída pelo título de “lente de resina mais fina do mundo”, o que “é um sonho para qualquer alto míope”. “Confesso que fiquei desconfiada no começo, mas me surpreendi positivamente quando os óculos chegaram pelos Correios. As lentes são realmente mais finas, o que deixa esteticamente mais bonito, já que não aparece muito dos ‘anéis’ das laterais e os olhos não ficam tão pequenos, e bem mais confortável, por ser mais leve. Graças a Deus não tenho mais vergonha de usar óculos e meus olhos podem descansar das lentes de contato”, comemora.

Guilherme também aprovou a nova lente. “O que me chamou a atenção foi o fato de a lente parecer finíssima, além do que ela pode ser comprada separada da armação. É a lente mais fina e leve que eu já tive. Para quem não vive sem óculos como eu, investir em uma lente boa e duradoura faz total diferença.” Por meio do site www.lenscope.com.br é possível tirar dúvidas, falar com um especialista e também submeter a receita dos óculos.

A empresa atua no mercado de lentes japonesas para óculos e utiliza o e-commerce como operação na venda de lentes para alto grau de miopia e hipermetropia, atendendo todos os brasileiros que precisam usar óculos. As lentes se destacam no mercado pela qualidade e estética diferenciada que apresentam, além do preço competitivo.

T_compara+º+úo +¦culos antes e depois Amanda


Link original: https://www.jj.com.br/economia/mercado-investe-em-tecnologia-para-atender-altos-miopes/
Desenvolvido por CIJUN