Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Safra de caqui em Jundiaí deve passar de 3.500 toneladas em 2018

NIZA SOUZA - csouza@jj.com.br | 14/03/2018 | 02:59

A safra de caqui está começando e a fruta já começa a ganhar espaço nos mercados e feiras. Este ano, a estimativa é que a produção na cidade seja de, aproximadamente, 3.500 toneladas da fruta, um pouco abaixo do ano passado. Mas, segundo os agricultores, a qualidade e a doçura das frutas estão excelentes. De acordo com a agrônoma Flávia Tirlone, da Casa de Agricultura de Jundiaí, a cidade tem cerca de 150 hectares plantados de caqui, de acordo com o Levantamento Censitário das Unidades Produtivas (Lupa). “A área diminuiu um pouco por conta de um maior adensamento dos pés nas áreas de plantio”, destaca.

BENEFICIAMENTO E LAVOURA DE CAQUI RAMA FORTE PLANTACAO ORLANDO STECK

Foto: Rui Carlos/Jornal de Jundiaí

Para a safra atual, diz Flávia, os produtores da cidade enfrentaram alguns eventos climáticos que causaram abortamento de frutos, o que deve provocar uma pequena redução na produtividade em comparação aos últimos três anos. “A produção varia de produtor para produtor, mas no geral todos conseguem uma boa produtividade, com média de 60 a 80 quilos por pé.” Depois da uva, informa o agrônomo Sérgio Pompermaier, da Prefeitura de Jundiaí, o caqui é a cultura mais expressiva da cidade. “A gente observa que as plantas estão sadias. Em termos de qualidade, a fruta está muito boa este ano”, garante.

Comercialização
O auge da safra de caqui costuma ser em abril e maio. Por isso, os produtores que já iniciaram a colheitas estão conseguindo bons preços no mercado, em torno de R$ 18 a caixa de 6 quilos. “Esse preço tende a cair um pouco conforme a oferta da fruta aumentar, no pico da safra”, pondera o agrônomo. Na propriedade de Ariovaldo Tomazetto, do Traviú, as árvores estão carregadas e a colheita já começou. “Faltou um pouco de temperatura mais amena em fevereiro, o que prejudica um pouco o crescimento dos frutos. Mas a fruta está muito doce e bonita”, diz o produtor, que tem cerca de 2.400 pés de caqui plantados em Jundiaí e outros 2.300 em São Miguel Arcanjo.

Tomazetto faz parte da Cooperativa Nossa Senhora das Vitórias, que faz a comercialização da produção. “A expectativa este ano é comercializar mais de 3 mil toneladas de caqui, metade produzido aqui em Jundiaí e o restante que vem de São Miguel Arcanjo”, diz o presidente da cooperativa, Orlando Steck. Mais da metade do caqui produzido na região de Jundiaí é da variedade rama forte, a mais achatada e que fica bem vermelha ao amadurecer, além de ser mole e bem doce.


Link original: https://www.jj.com.br/economia/safra-de-caqui-em-jundiai-deve-passar-de-3-500-toneladas-em-2018/
Desenvolvido por CIJUN