Economia

Tragédia de Brumadinho foi determinante para PIB negativo, diz IBGE


O aumento das restrições à produção de minério de ferro em Minas Gerais após a tragédia de Brumadinho (MG) derrubou a indústria extrativa brasileira no primeiro trimestre e foi determinante para que o PIB fechasse o período no terreno negativo, com recuo de 0,2%. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a indústria extrativa recuou 6,3%, na comparação com o trimestre anterior. A última vez em que a indústria extrativa caiu tanto foi no quarto trimestre de 2008, quando os preços das commodities despencaram em resposta à crise financeira global detonada pela falência do banco Lehman Brothers em setembro daquele ano. Segundo a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, sem a queda da indústria extrativa, o PIB poderia ter ficado estável, com resultado ao redor de zero. "A indústria extrativa foi responsável pela queda do PIB", disse ela. No auge da crise, restrições a operações afetaram minas com capacidade equivalente a 20% da produção nacional de minério de ferro, incluindo o maior ativo da Vale em Minas Gerais, a mina de Brucutu. A indústria como um todo registrou queda de 0,7% no primeiro trimestre, em comparação com o mesmo período do ano anterior. O rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão ocorreu no dia 25 de janeiro, deixando até o momento 245 mortos e 25 desaparecidos. Em seguida, houve reforço em restrições a operações de barragens construídas com tecnologia semelhante à que se rompeu. Primeiro, a própria Vale anunciou a suspensão das atividades em minas com barragens semelhantes. Logo depois, autoridades como o Ministério Público e a ANM (Agência Nacional de Mineração) determinaram o fechamento de outras unidades. No início do mês, a Vale informou que sua produção de minério no primeiro trimestre foi 11,1% menor do que no mesmo trimestre do ano anterior, chegando a 72,8 milhões de toneladas. Segundo o IBGE, houve queda também na produção de petróleo no primeiro trimestre, mas o recuo na produção de minério foi determinante para o mau desempenho da indústria extrativa no período.

Notícias relevantes: