Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Cidade de São Paulo tem esculturas e monumentos históricos recuperados

Da redação | 30/06/2019 | 08:30

São Paulo acaba de ganhar 42 esculturas e monumentos históricos recuperados, depois de um minucioso processo de limpeza e restauração. São obras de artistas consagrados, nomes icônicos da arte brasileira, instaladas em regiões emblemáticas da cidade, como a Praça da Sé, a Avenida Paulista e o Parque Ibirapuera. A iniciativa foi patrocinada pela Bombril, com realização da Sequóia Produções, em parceria com o Ateliê Julio Moraes e apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. “Queremos preservar o patrimônio cultural de São Paulo e chamar atenção às obras importantes, feitas por artistas que ajudaram a construir a história da arte no Brasil”, diz Eduardo Lara Campos, diretor da Sequóia Produções.

O longo processo de recuperação foi documentado com registro fotográfico e em vídeo. O material foi compilado em um catálogo impresso e digital que será lançado e distribuído gratuitamente no feriado de 9 de julho, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM São Paulo). Na ocasião, também serão exibidas duas sessões do documentário Conservação de Esculturas em Espaços Públicos, que mostra todos os detalhes da ação. O trabalho de recuperação foi dividido em três fases e cada uma das obras recebeu cuidados específicos, feitos de acordo com seu estado de preservação. Foram retiradas manchas de pichações e desgastes ocasionados por intempéries diversas, realizadas pinturas e polimentos, além da instalação de coberturas para protegê-las e facilitar futuras limpezas.

A primeira fase, que aconteceu de novembro a dezembro de 2018, recuperou as nove esculturas da Praça da Sé. Entre os destaques, Abertura (1970), escultura em aço de Amilcar de Castro; Voo (1967), de Caciporé Torres; Nuvem Sobre a Cidade (1979), de Nicolas Vlavianos; Emblema de São Paulo (1979), de Rubem Valentim; e as esculturas sem título de Mario Cravo Júnior, em aço inoxidável, e de Sergio Camargo, em mármore carrara. Para além das esculturas, uma obra de extrema importância para a capital: o marco zero da cidade, prisma hexagonal revestido de mármore e bronze, idealizado por Jean Gabriel Villin e Américo Neto e instalado no centro geográfico de São Paulo.

A segunda etapa, realizada entre janeiro e fevereiro deste ano, contemplou as três emblemáticas esculturas do Parque Trianon, na Avenida Paulista: Fauno (1944), de Victor Brecheret; Anhanguera (1935), de Luís Brizzolara; e Busto de Joaquim Eugenio de Lima (1952), de Roque de Mingo.

A terceira fase, concluída em junho, recuperou as 30 obras do Jardim de Esculturas do MAM São Paulo, no Parque Ibirapuera, um dos principais acervos brasileiros expostos a céu aberto. São monumentos projetados por importantes nomes da cena contemporânea do País, com obras como Aranha (1981), de Emanoel Araújo; Carranca (1978), de Amilcar de Castro; Laminescate (1991), de Luiz Hermano; Sem título (1997), de José Resende; Sete ondas – uma escultura planetária (1995), de Amelia Toledo; Cantoneiras (1975), de Franz Weissmann; e Corrimão (1996), de Ana Maria Tavares.

SERVIÇO
Lançamento e distribuição do catálogo Conservação de Esculturas em Espaços Públicos, no dia 9 de julho, das 11h às 17h, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM São Paulo)


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/especiais/cidade-de-sao-paulo-tem-esculturas-e-monumentos-historicos-recuperados/
Desenvolvido por CIJUN