Esportes

Timão prevê orçamento curto na temporada 2021

Planejamento Previsão da diretoria alvinegra é de poucas contratações para o restante do ano


DIVULGAÇÃO
O presidente Duílio Monteiro pretende renegociar as dívidas do clube
Crédito: DIVULGAÇÃO

O Corinthians admite a necessidade de contratar reforços para a próxima temporada, mas vender jogadores é tratado como algo ainda mais importante pela diretoria. Enfrentando dificuldades financeiras, o clube precisa negociar atletas para conseguir fechar as contas no azul.

Depois de um desempenho excepcional em 2020, quando negociou Pedrinho, Carlos Augusto, Clayson, André Luís e alguns outros atletas, o Corinthians prevê uma arrecadação menor neste ano, mas ainda assim mira números expressivos. O Timão espera receber cerca de R$ 100 milhões em transferências.

Tal quantia representa quase a metade do que foi faturado no ano passado com vendas. Até setembro, quando divulgou o último balancete financeiro, o Corinthians já havia embolsado R$ 186,4 milhões com negociações de jogadores.

As vendas são vistas como fundamentais não apenas para gerar receitas, como também para reduzir despesas, com o enxugamento da folha salarial do elenco.

O presidente Duílio Monteiro Alves e o diretor financeiro Wesley Melo pregam uma política de austeridade, afim de sanear as contas do clube. Os últimos dados divulgados pelo Corinthians indicaram que a dívida alvinegra já ultrapassa R$ 920 milhões.

Nos próximos dias, os conselheiros do clube devem receber o orçamento para 2021. O documento apresenta projeções cautelosas, como a ausência na próxima Copa Libertadores.


Notícias relevantes: