Esportes

Criação da Superliga pega mal e sofre resistência

EUROPA Grandes clubes que aderirem poderão ser punidos com exclusão de torneios oficiais da UEFA


Divulgação
A criação da Superliga Europeia causou mal-estar com a UEFA e pode gerar exclusão das equipes
Crédito: Divulgação

Nada agitou tanto o futebol europeu no fim de semana quanto o lançamento da "Superliga", torneio que reúne 12 dos gigantes do continente. O novo torneio recebeu, antes mesmo da confirmação, uma resposta dura da Uefa, em parceria com Premier League, LaLiga e Serie A da Itália, que, na véspera do anúncio de novidades na Champions League, ameaçou clubes e até jogadores que fizerem parte da iniciativa.

A competição, já discutida há algum tempo, ainda não tem uma data confirmada. São 12 os clubes fundadores: os seis principais times da Inglaterra (Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester United, Manchester City e Tottenham), os três gigantes da Espanha (Atlético de Madrid, Barcelona e Real Madrid) e mais o trio dos chamados grandes da Itália (Milan, Inter de Milão e Juventus).

A entidade divulgou um comunicado duro, ao lado de da Federação Inglesa, Premier League, Federação Espanhola, LaLiga, Federação Italiana e a Serie A. O projeto, encabeçado pelos gigantes ingleses, espanhóis e italianos, foi chamado de "cínico". A nota faz uma ressalva, com elogio a clubes de Alemanha e França, que seriam contrários à iniciativa.

"Nós vamos considerar todas medidas disponíveis, em todos os níveis, tanto jurídicos quanto esportivos, para evitar que isso aconteça. O futebol é baseado em competições abertas e no mérito esportivo; não pode ser diferente.", escreveu.

"Assim como já anunciado pela Fifa e as seis confederações, os clubes envolvidos serão banidos de jogar qualquer outra competição, doméstica, europeia ou mundial, e seus jogadores terão negada a oportunidade de representar suas seleções", ameaçou.

Para sair do papel efetivamente, a Super League precisa, ao menos oficialmente no momento, de aprovações das confederações nacionais, da Uefa e também da Fifa, o que deve abrir caminho para uma longa briga nos bastidores casos os planos realmente avancem.


Notícias relevantes: