Esportes

Com titulares, Brasil faz dever de casa e vence terceiro amistoso de vôlei contra a Venezuela

A seleção masculina de vôlei é a atual campeã olímpica e uma das favoritas para a Olimpíada de Tóquio


Divulgação
Esportes
Crédito: Divulgação

O resultado no placar deste domingo foi aquele 3 a 0 esperado (parciais de 25/15, 25/15 e 25/19). Afinal, a seleção masculina de vôlei é a atual campeã olímpica e uma das favoritas para a Olimpíada de Tóquio, enquanto a Venezuela tem pouca tradição no esporte. Mas o importante era dar ritmo de jogo aos atletas e visualizar o que vem dando certo e o que precisa ser melhorado nos treinamentos.

Pela primeira vez na série de três amistosos, o técnico Carlos Schwanke, que substitui Renan dal Zotto que se recupera do coronavírus, decidiu escalar o que seria, na teoria, o time titular. Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Leal, Lucarelli e Thales começaram a partida. Cachopa, Felipe Roque, Flávio, Maurício Borges, Isac e Douglas Souza entraram no decorrer da partida.

 

O saque e o ataque do Brasil parecem estar super afiados. A seleção teve ótimo aproveitamento nos dois fundamentos. O bloqueio e, principalmente, o passe são os que têm mais margem para evoluir até as Olimpíadas de Tóquio. Lucarelli foi o grande destaque individual no jogo. Bruninho, Wallace e Lucão também foram muito bem.

A seleção embarca ainda neste domingo para a Itália onde será disputada a Liga das Nações. A cidade de Rimini será a sede da competição, que vai ser jogada no sistema de bolha, por conta da pandemia do coronavírus. O Brasil estreia na sexta, às 16h, contra a Argentina. O jogo terá transmissão do Sportv.

 

O jogo
O Brasil começou sofrendo um pouco no passe mas, aos poucos, foi se achando. Em compensação, o saque forçado mostrou que pode ser uma importante arma para buscar uma medalha olímpica. A Venezuela conseguiu fazer um jogo parelho até ao décimo segundo ponto, mas depois a seleção sobrou em quadra. Wallace, ainda sem aquele seu ataque potente, chamou a atenção pelo repertório na virada de bola. Lucão também foi bem em todos os fundamentos. Inclusive, puxando uma pipe muito bem executada. Mas Lucarelli foi o principal destaque da primeira parcial. Bem no saque e no ataque, o ponteiro chamou a responsabilidade e foi em uma sequência de serviços dele, que o Brasil fechou em 25 a 15.

A Venezuela até ameaçou começar bem de novo o set, mas o Brasil acelerou o ritmo e, em ataque de Wallace, a vantagem já era de quatro pontos, no 8 a 4. E foi o próprio oposto que abriu ainda mais a vantagem, em um ataque espetacular numa diagonal tão curta que beirou a rede para fazer 16 a 7. A Venezuela ainda conseguiu quebrar o passe do Brasil algumas vezes, mas a reação foi tímida. Em bola pingada de Maurício Souza, a seleção fechou em 25 a 15 novamente.

A seleção voltou para o terceiro set com Flávio no lugar de Maurício Souza. O meio entrou bem, mas a Venezuela também. E no melhor momento do rival, foi o saque de Lucarelli que ajudou o Brasil a abrir vantagem no 9 a 7. Mas a Venezuela estava disposta a tentar dificultar a vida do Brasil. Com bons saques, fez o passe da seleção sofrer. Valencia, com serviço curto, fez o ace que deu dois pontos de vantagem aos adversários (14 a 12). O Brasil reagiu e virou no bloqueio de Douglas Souza, que tinha acabado de entrar no jogo (20 a 18). Em ace de Flávio, a vantagem foi para quatro pontos (22 a 18). Em ataque de Wallace, o Brasil fechou o set em 25 a 19 e a partida em 3 a 0.


Notícias relevantes: