Esportes

Neymar é acusado de assédio e rebate a Nike

Polêmica A empresa alega que esse teria sido o motivo de encerrar o vínculo com o atleta brasileiro


DIVULGAÇÃO
Neymar Jr. nega as acusações de assédio e acusa a Nike de atrasar o pagamento previsto em contrato
Crédito: DIVULGAÇÃO

O fim precoce do contrato entre Neymar e a Nike envolveu uma denúncia de assédio sexual contra o atacante. É o que revelou uma reportagem desta quinta-feira do "Wall Street Journal". Ao jornal, a conselheira geral da empresa de materiais esportivos, Hilary Krane, confirmou que o rompimento veio após o jogador não colaborar com as investigações do caso, que teria ocorrido em 2016.

"A Nike encerrou seu relacionamento com o atleta porque ele se recusou a cooperar em uma investigação de boa-fé de alegações confiáveis feitas por uma funcionária de irregularidades cometidas", declarou Krane, ao jornal norte-americano.

Diante da publicação nesta quinta, a Nike se posicionou por meio de nota e confirmou que houve a denúncia de assédio sexual contra Neymar. Segundo o "Wall Street Journal", o contrato do jogador com a empresa tinha mais oito anos de duração quando foi encerrado, em setembro do ano passado. O camisa 10 do PSG logo firmou acordo com a Puma, que não comentou sobre o tema. A empresa afirma que o assunto não foi tratado publicamente porque a investigação ainda está em curso.

"A investigação foi inconclusiva. Não emergiram fatos suficientes que nos permitam falar substancialmente sobre o assunto. Seria inapropriado para a Nike fazer uma declaração acusatória sem poder oferecer fatos que a suportem."

O jogador do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira tratou as afirmações da empresa de material esportivo como absurdas e mentirosas. Em publicação em seu Instagram, Neymar disse que não teve a oportunidade de se defender e que acredita que o tempo "tratá as verdadeiras respostas".

A CBF também se manifestou por meio de nota e informou que Juninho Paulista, coordenador da Seleção, teve uma conversa com Neymar na manhã desta sexta. Segundo a entidade, o atacante se mostrou "tranquilo e focado" para os próximos jogos das Eliminatórias, contra Equador e Paraguai. O camisa 10 do PSG logo firmou acordo com a Puma, que não comentou sobre o tema.


Notícias relevantes: