Esportes

Olimpíada: conjunto brasileiro de ginástica rítmica está em Tóquio


RICARDO BUFOLIN 2021
Ceremony Awards, Rhythmic Gymnastics | Gymnastics Pan American Championships Rio2021 | Jun12 | Rio de Janeirio, Brazil | Photo: Ricardo Bufolin / Panamerica Press / CBG
Crédito: RICARDO BUFOLIN 2021

Neste sábado (12), a seleção brasileira de ginástica rítmica faturou o Pan-Americano de Ginástica Rítmica e se classificou para os Jogos Olímpicos de Tóquio. As atletas nacionais conseguiram a nota 35.950 na série mista (três arcos e dois pares de maças). Na sexta (11), o time já tinha marcado 38.450 na série de cinco bolas. No total, a nota verde e amarela foi 74.400. Enquanto isso, o México, que tinha obtido uma nota um pouco melhor no primeiro dia, ao receber a nota 38.600, acabou perdendo pontos quando uma das atletas deixou cair uma maça neste sábado. A nota de 35.100 foi insuficiente para superar o time brasileiro.

A técnica mexicana apresentou um recurso e conseguiu subir dois décimos na nota original que havia sido 34.900. Durante a analise da arbitragem, o clima foi de muito suspense no ginásio. Mas, no final, veio a consagração. “A gente está muito feliz, com a sensação do dever cumprido. Não existe grande conquista sem sacrifício. Tratamos de não cometer erros e depois ficamos no sofazinho rezando, esperando a nota. Felizmente, deu tudo certo”, disse à assessoria da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) Duda Arakaki, a capitã da equipe.

A equipe do Brasil foi composta por Duda, Beatriz Linhares, Deborah Medrado, Geovanna Santos da Silva, Bárbara Galvão e Gabrielle Moraes. Neste domingo, os conjuntos disputarão as finais das series de cinco bolas e mistas.

Nas disputas individuais, Bárbara Domingos, no arco, ficou com 23.250, nas maças, obteve 23.450, e na fita, 20.600. Só que a vaga olímpica ficou com a mexicana Rut Castillo que teve desempenho superior em três dos quatro aparelhos. No placar geral, a mexicana somou 91.500 e a Bárbara ficou com a prata, ao totalizar 89.250. Outra atleta que buscava uma vaga era Natália Gaudio. Ela conquistou o bronze no individual geral com 21.950 no arco, 22.850 na bola, 20.800 nas maças e 18.950 na fita, totalizando 84.550. Andressa Jardim, ficou na 14ª posição, com 63.800.

Na competição por equipes, a soma das notas de Bárbara, Natália e Andressa deu ao Brasil o primeiro lugar. Com isso, pela primeira vez, o País conquista vaga de equipe para um Mundial. O Brasil somou 208.550, e conseguiu uma pequena vantagem sobre o México, que totalizou 208.300 com Rut, Karla Diaz e Ledia Aladro. Os Estados Unidos obtiveram 196.400. Neste domingo (13), haverá as finais por aparelhos.


Notícias relevantes: