Esportes

Brasil ultrapassa os 100 ouros na história dos Jogos

Paralimpíada A terça-feira (31) foi de medalhas para o Brasil no atletismo e na natação em Tóquio


Divulgação
Carol Santiago no pódio com o ouro nos 100m livre, o centésimo do Brasil na história da Paralimpíada
Crédito: Divulgação

O Brasil ultrapassou a marca de 100 ouros na história das Paralimpíadas. Nesta terça-feira, com um ouro de Yeltsin Jacques no atletismo e um de Carol Santiago na natação, o país chegou a 101 medalhas douradas na história. Dessas conquistas, 14 foram em Tóquio, igualando a marca da Rio 2016. O Brasil ainda conquistou mais três medalhas na natação (duas pratas e um bronze) e duas no atletismo (uma prata e um bronze). Resultados que mantiveram o país na sexta posição do quadro de medalhas.

A terça-feira ainda marcou a classificação do Brasil para as semifinais de três esportes coletivos. A seleção de futebol de 5 goleou a França no encerramento da fase de grupos. Os brasileiros bateram a Turquia nas quartas de final do goalball. E o Brasil perdeu da Alemanha no vôlei sentado, mas superou o adversário no segundo critério de desempate para ficar com a segunda posição do grupo B do torneio masculino.

O 100º ouro

O Brasil abriu a terça-feira (de Tóquio) precisando de apenas um ouro para alcançar a marca de 100 medalhas douradas na história das Paralimpíadas. E ela veio cedo. Ainda era segunda-feira no Brasil quando Yeltsin Jacques dominou os 1.500m T11 (para atletas cegos) e quebrou o recorde mundial da prova, com 3m57s60. O 100º ouro chegou em grande estilo. Foi o segundo título de Yeltsin nestes Jogos. Ele havia vencido também os 5.000m T11.

O atletismo ainda conquistou mais uma prata e um bronze nesta terça. Raissa Rocha Machado ficou atrás apenas da iraniana Hashemiyeh Motaghian Moav, que bateu o recorde mundial do lançamento do dardo F56, para atletas que competem em cadeira. Raissa quebrou o recorde das Américas, com 24,39m.

Jardênia Felix, de apenas 17 anos, foi a terceira colocada nos 400m rasos T20, para atletas com deficiência intelectual.

Ouro nos 50m livre S13 e bronze nos 100m costas S12, Marica Carolina Santiago conquistou mais duas medalhas nesta terça. A nadadora de 36 anos foi ouro nos 100m livre S12 e prata no revezamento 4x100m livre misto para deficientes visuais, junto com Wendell Belarmino, Douglas Matera e Lucilene Sousa. Carol se tornou a primeira brasileira da natação a faturar dois ouros em uma única edição das Paralimpíadas.


Notícias relevantes: