Esportes

Clubes da Série A se unem contra a volta do público

BRASILEIRÃO Apenas o Flamengo foi contra após conseguir permissão para ter torcida contra o Grêmio


Divulgação
Clubes se unem contra o Flamengo e contra a volta do público nos estádios pela Séria A do Brasileirão
Crédito: Divulgação

A Confederação Brasileiro de Futebol (CBF) e 19 clubes que disputam o Campeonato Brasileiro - todos menos o Flamengo - decidiram nesta quarta-feira (8) que os jogos da Série A vão continuar sem a presença de público.

Os 19 clubes também decidiram entrar em conjunto com uma ação no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para tentar derrubar a liminar concedida ao Flamengo que permite presença de público nos jogos da equipe. Além disso, ficou decidido que, se algum clube usar liminar para ter torcedores na arquibancada, a rodada inteira do Brasileiro será suspensa.

Uma nova reunião para discutir o tema foi marcada para o dia 28 de setembro.

Horas antes da reunião, o Flamengo publicou nota oficial afirmando que "não cabe aos clubes ou à CBF" deliberar sobre a presença de público nos estádios. Por isso, o clube não participou da reunião. Nesta semana, a Prefeitura do Rio de Janeiro permitiu o que chamou de "evento-teste" com público em três jogos do time rubro-negro no Maracanã, um deles pelo Brasileirão, contra o Grêmio.

Copa do Brasil

O Grêmio ameaça não entrar em campo na partida contra o Flamengo, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, caso seja permitida a presença de público no Maracanã. A partida está marcada para a próxima quarta-feira (15) às 21h30.

O clube alega falta de isonomia e cita o protocolo estabelecido pela CBF para o retorno de público aos estádios. Pelo documento, a presença de torcida em jogos de mata-mata só seria permitida caso os dois clubes possam contar com permissão para tal. Como não houve torcida no jogo de ida, em Porto Alegre, o Grêmio entende que as mesmas condições devem ser mantidas no jogo de volta.

O diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, afirmou que foi consultado sobre o assunto pelo presidente Romildo Bolzan Jr. O tema ainda deve ser debatido no Conselho de Administração entre Bolzan e seus pares.

"Foi consultado o jurídico sobre o tema. Respondemos ao presidente que, de acordo com o regulamento da competição, se no primeiro jogo não tiver público, no segundo não pode ter. Mesmo que a cidade tal tenha liberado. Se houver qualquer tentativa de ter público, o Grêmio não entrará em campo", disse o dirigente.


Notícias relevantes: