Esportes

Gol de falta aos 40 minutos elimina Paulista da Copinha

GALO FORA Ceará vence por 1 a 0, após cobrança de uma falta da lateral, numa bola em que ninguém acreditou - nem desviou


COLABORAÇÃO: EDIVALDO SANTOS
Atacantes do Paulista produziram pouco e o Ceará garantiu classificação
Crédito: COLABORAÇÃO: EDIVALDO SANTOS

Um gol marcado pelo Ceará aos 40 minutos da segunda etapa definiu a classificação do 'Vozão' para a segunda fase da Copa São Paulo e a consequente eliminação do Paulista da competição. Pedro Ígor (que havia entrado no segundo tempo) cobrou uma falta da lateral-esquerda, batendo alto: a bola viajou por toda a área, ninguém cortou, o goleiro também não: Ceará 1 a 0.

Com o resultado, o Ceará chegou aos 5 pontos, assegurando a segunda vaga do Grupo 18 (vai, agora, enfrentar o Desportivo Brasil, na quinta-feira, 13, em Porto Feliz). O São Bernardo (que, na partida preliminar, venceu o Bragantino-PA por 2 a 0) fechou sua participação na primeira fase como o melhor da chave, com 7 pontos. O time da ABC terá pela frente o IAPE-MA. O Paulista termina a Copinha com uma vitória e duas derrotas - em terceiro no grupo.

O Galo não pode sequer reclamar de que sofreu um gol esquisito - assim como estranha foi a atuação do próprio time durante todo o jogo. Enquanto o Ceará, desde o apito inicial, foi pra cima do adversário em busca do único resultado que lhe interessava - a vitória - o Paulista ficou cozinhando o jogo, com o regulamento debaixo do braço, criando poucas oportunidades e mostrando desinteresse.

Nem a chuva forte que castigou o gramado durante a partida preliminar abateu o ânimo dos atacantes do Vozão. Com as duas intermediárias prejudicadas, o Ceará optou por atacar pelo seu lado direito, onde o lateral Átila era presença constante, com cruzamentos que foram, no entanto, sendo desperdiçados - ora por João Victor, ora por Felipe Michael.

O Paulista até tentava alguma coisa - também pela direita, com o apoio de Viana - mas era pouco. Além dele, quem aparecia na criação de jogadas era o meia Fogaça, que entrou em lugar de Bruninho (suspenso).

O desinteresse do Paulista ficava evidente por outro fato: a maioria dos rebotes (fosse dos cruzamentos de faltas, laterais ou bolas alçadas para a área jundiaiense) era ganho pelos jogadores do Ceará.

Na etapa final, o Paulista até começou melhor e buscando o gol - que, como não saiu, voltou a trazer o time para sua defesa novamente.

Os meninos do Ceará comemoraram seu gol depois de um falta cometida perto da linha lateral. O garoto Pedro Ígor (que havia entrado na segunda etapa) bateu forte, alto, a bola foi viajando, nenhuma cabeça jundiaiense aparecendo para cortar, seguiu em direção ao gol... quando Gabriel Chaves se deu conta, os jogadores do Ceará corriam como loucos comemorando o 1 a 0.

Os meninos do Galo ficaram nervosos, André (que havia entrado poucos minutos antes) foi expulso - e o Ceará passou a ganhar todo o tempo do mundo.

Quando o árbitro apitou o fim do jogo, restou um coro que vinha da torcida, e que tinha o técnico Baiano como o alvo principal.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: