Esportes

Jundiaiense está a uma luta de vaga no UFC; desafio será em Las Vegas

ARTES MARCIAIS MISTAS Claudio Ribeiro da Silva vem de uma forte preparação física e mental para fazer história no torneio de Dana White, nos EUA


 DANIEL TEGON POLLI
Claudio Ribeiro da Silva está confiante para lutar por um contrato com Dana White
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

Vindo da conquista de três cinturões nos últimos três anos, o lutador jundiaiense Claudio Ribeiro da Silva, de 30 anos, se prepara para um confronto que poderá abrir as portas do Ultimate Fighting Championship (UFC).

No dia 16 de agosto, em Las Vegas (EUA), Claudio vai encarar Ivan 'Bam Bam' Valenzuela, do México, pela categoria 'meio médio', até 84 kg. A luta é válida pela sexta temporada do 'Contender Series', de Dana White, empresário e atual presidente do UFC. Nessa competição, são cinco lutas por evento (toda terça-feira), em categorias diferentes.

"E não adianta só vencer, o lutador tem que ganhar com excelência, tem de massacrar. O Dana quer um show, então, ele só vai contratar para o UFC quem mostrar um verdadeiro espetáculo. A gente está saindo de Jundiaí para Las Vegas para deixar nossa marca lá", comenta Krishnow Pelou, treinadora de Claudio.

Muitos elementos apimentam esse confronto tão aguardado. Claudio vem de 9 vitórias em 11 lutas, sendo campeão de três dos principais torneios do Brasil ('Batalha MMA', em 2019; 'Thunder Fight', em 2020; e 'Future MMA', em 2021). Enquanto seu adversário vem de 8 vitórias em 9 lutas, sendo o atual campeão do 'Lux Fight League', principal torneio mexicano. Assim, será a primeira vez que dois defensores de cinturões se enfrentam em um Contender, em busca de um contrato no UFC.

"Vai ser uma luta complicada pois são dois nocauteadores, ou seja, não teremos lutas no chão, mas tenho certeza que não vai passar do 1º round também" ressalta Krishnow.

A preparação de Claudio está sendo minuciosa, seus treinadores, Krishnow e Jean Marie Pelou, da academia 'Brazilian Black Thai' (BBT), estão pontuando os mínimos detalhes para manter o atleta focado. "Nós viajamos dia 12, mas a partir deste final de semana, ele vai ficar internado na minha casa, como uma espécie de 'bolha', sem contato com parentes ou amigos, realizando uma rígida rotina de treinos e alimentação", conta Krishnow.

Os dias de antecipação à luta serão bons para o Claudio se adaptar ao fuso horário e, principalmente, ao clima seco do deserto. "Ele vem de oito nocautes no 1º round e não espero coisa diferente. Queremos fazer o nocaute mais rápido do Contender. Nosso trabalho está sendo bem diferente mesmo, desde a análise e mapeamento do adversário até essa bolha, como forma de preparação física e mental. Na próxima semana, vou treinar com ele debaixo do sol, buscando situações semelhantes à Vegas", afirma Jean.

Essa será a primeira competição internacional e a primeira viagem de avião de Claudio. "Eu estou a milhão, treinando forte, sempre com ajuda dos professores e todo o pessoal da academia. Foram sete anos de trabalho e não vou perder essa oportunidade, a gente vai trazer esse contrato para Jundiaí no dia 16 pode anotar".

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: