Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Aulas gratuitas fazem tênis se tornar esporte popular na cidade

Thiago Batista | 08/12/2019 | 13:00

No imaginário de muita gente, o tênis é considerado um esporte de elite. Mas, a cada ano esse mito vem sendo derrubado. Em Jundiaí, políticas públicas estão tornando a modalidade acessível à população de baixa renda, com grande oferta para as crianças.

É o caso de Bruno Victor, de 13 anos, morador do Jardim Buriti, em Várzea Paulista. Ele participa das aulas em um local adaptado no centro esportivo Antônio de Lima. E está gostando das atividades semanais.

“Eu gosto das aulas pelo jeito de jogar, pela chance de fazer novas amizades e por saber que não precisa ganhar para sentir o gostinho de vencer”, conta o jovem. “Praticar um esporte é muito legal”, completa.

Karina Corneta desejava que os seus filhos Luísa e Vinícius praticassem tênis. Cerca de 30% da renda da família já era comprometida com a vida escolar. Sem condições de pagar uma academia para a prática da modalidade, não pensou duas vezes em inscrever os filhos quando soube do projeto no Bolão.

“Hoje não temos condições de pagar aulas particulares para eles, pois ambos estudam em escola privada, e isso é nossa prioridade”, diz a dona de casa de 41 anos.

Para Karina, o tênis hoje é um esporte popular. “A modalidade tem essa imagem de esporte de elite, mas todos têm acesso e podem aprender, pois não é difícil. Basta treinar”, completa.

“Aqui a gente não precisa comprar os equipamentos”, lembra Luísa, filha de Karina, de 9 anos. A menina conta que o aprendizado nas aulas serve também para o dia a dia. “A gente tem que sempre buscar a vitória e, para isso, precisa de muito treino, de esforço”, conta.

No quadra de tênis do Bolão, o projeto tem aulas oferecidas pela professora Mary Solange Martelo há quatro anos. E não há distinção de classe social, “Aqui não tem escolha. Se tiver vaga, qualquer pessoa pode entrar”, afirma.

A treinadora explica que para praticar esporte a pessoa precisa apenas comprar o equipamento considerado básico. “Você tem que ter dinheiro para comprar uma raquete. Se jogasse basquete, ia precisar de um tênis apropriado, assim como para o futebol seria necessária uma chuteira. E a raquete não desgasta tão rápido”, explica. Quanto ao espaço, ela lembra que as quadras do Bolão são gratuitas. “Aqui, o esporte é popular de verdade”, lembra.

Projeto na Agapeama
Victor Gabriel, de 9 anos, conheceu o tênis pelas aulas oferecidas no ginásio do centro esportivo Antônio de Lima, na Agapeama, da professora Maria José, a Mazé. E está gostando.

“Faço quatro esportes e apenas um a gente paga, que é o futebol”, conta o jovem, que tem um irmão autista.

Idealizadora do projeto no Antônio de Lima, Mazé diz que a ideia de colocar aulas de tênis no centro esportivo foi após uma atividade de férias.

“A gente colocou uma redinha de tênis para as crianças brincarem e acabou formando fila. Falei que colocaria o tênis para os jovens praticarem e o resultado está sendo muito satisfatório. As crianças estão se saindo muito bem”, detalha.
Para 2020, ela diz que o projeto cresça ainda mais no centro esportivo da Agapeama. “Vou tentar implantar o adulto, que tem procura para formar uma turminha no próximo ano”, diz.

Tênis no Novo Horizonte
Na última semana começaram também as aulas em um núcleo no centro esportivo José de Marchi, no bairro do Novo Horizonte. As aulas são ministradas pela Fundação Tênis.

A participação nas aulas é para alunos da EMEB Professora Beatriz Blattner Pupo e Escola Estadual Joaquim José Carreira.


Leia mais sobre | |
Link original: https://www.jj.com.br/esportes/aulas-gratuitas-fazem-tenis-se-tornar-esporte-popular-na-cidade/
Desenvolvido por CIJUN