Esportes

Eurocopa e Copa América adiadas


T_EuroAdiada01
Crédito: Reprodução/Internet
Os dois principais torneios de futebol de seleções desta temporada foram adiados por um ano. A Copa América (com sedes na Argentina e Colômbia) e a Eurocopa (com 12 países para receber os jogos) serão disputadas entre junho e julho do próximo ano. Conmebol (pela América do Sul) e Uefa (pela Europa) anunciaram as mudanças, após reuniões ontem (17). O motivo foi a pandemia do coronavírus. Copa América De acordo com a Conmebol, os grupos, sedes e formato da competição estão mantidos. As datas é que mudam: a Copa América será agora de 11 de junho a 11 de julho de 2021 (em 2020, o torneio começaria em 12 de junho e terminaria no dia 12 de julho). “Não foi fácil tomar essa decisão, mas devemos sempre proteger a saúde de nossos jogadores e de todos os que fazem parte da grande família de futebol da América do Sul. Não duvide que o torneio internacional mais antigo do mundo será voltar mais forte do que nunca em 2021”, disse Alejandro Dominguez, presidente da Conmebol. Eurocopa A confederação europeia optou por atrasar em um ano o torneio entre seleções, que seria realizado entre 12 de junho e 12 de julho deste ano, para abrir espaço no calendário para a conclusão das ligas nacionais e outros torneios entre clubes, como a Liga dos Campeões e a Liga Europa, fechando a temporada 2019/20 - paralisada pela pandemia. A Euro foi remarcada para 11 de junho a 11 de julho do ano que vem. “A mudança do Euro tem um custo enorme para a Uefa, mas faremos o nosso melhor para garantir que o vital financiamento para o futebol de base, o futebol feminino e o desenvolvimento do esporte em nossos 55 países não seja afetado”, disse Aleksander Ceferin, presidente da Uefa. Mundial de Clubes A Fifa confirmou oficialmente ontem (17) o adiamento do novo Mundial de Clubes, que seria realizado em meados de 2021, na China. "O mundo está enfrentando um desafio de saúde sem precedentes e claramente se exige uma resposta global e coletiva. Cooperação, respeito mútuo e compreensão precisam ser os princípios em mente para todos os líderes nesse momento crucial”, declarou o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Notícias relevantes: