Esportes

Justiça dos EUA libera José Maria Marin de prisão por risco de coronavírus

T_JoséMariaMarin02
Crédito: Reprodução/Internet
O ex-presidente da CBF José Maria Marin foi liberado nesta segunda-feira (30) da prisão nos Estados Unidos por risco de contrair o novo coronavírus. Segundo o site de notícias americano Bloomberg, os advogados citaram a pandemia da covid-19 no pedido, que foi aceito pela juíza distrital Pamela Chen, do Brooklyn, em Nova York. Marin tem 87 anos e cumpre pena em uma prisão federal em Allenwood, na Pensilvânia. O pedido da defesa foi feito no domingo (29) em caráter de urgência. Foram mencionados também o histórico médico e a idade avançada do ex-cartola, que também foi governador do estado de São Paulo nos anos 1980. Os procuradores do caso concordaram com a redução e o imediato encerramento da pena. Chen considerou que já foi registrado o cumprimento de 80% da sentença. Em 2018, Marin foi sentenciado a quatro anos de prisão pela mesma juíza por crimes cometidos quando foi presidente da CBF. Seu mandato aconteceu entre 2012 e 2015, quando ele foi preso na Suíça e depois extraditado para os Estados Unidos. As acusações incluíram lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraude bancária. No lado esportivo, o ex-dirigente foi banido do futebol pela Fifa no ano passado.

Notícias relevantes: