Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

O romantismo está em falta?

| 18/05/2014 | 00:05

Você conhece aquela estorinha sobre o jovem e extraordinário jardineiro que, ao terminar seu trabalho na casa de um de seus clientes, pede para usar rapidamente o telefone? Pois bem, o cliente autoriza e fica por perto. Assim, terminou escutando o que o rapaz tinha de tão importante a dizer para quem estava do outro lado da linha.

E ouve o discurso: “Sou um excelente jardineiro, tem um valor mensal justo, limpo todo o quintal ao término do trabalho, recolho o lixo, aplico remédio nas plantas se for preciso, sou pontual e muito honesto. O senhor estaria interessado em conhecer meus serviços? Podemos marcar um horário conforme a sua disponibilidade!”

Depois de alguns segundos em silêncio, o rapaz se despede dizendo: “Ok, senhor. Muito obrigado pela atenção”. Ao desligar, o rapaz agradece o cliente e vai saindo. Mas o cliente, intrigado, questiona: “Amigo, você fez uma excelente proposta a este homem e, mesmo assim, ele não aceitou nem conhecer seu trabalho?”

E o rapaz rapidamente esclarece: “Bem, ele me disse que não queria conhecer o meu trabalho porque está extremamente contente com o trabalho do jardineiro dele. E isso me deixa muito feliz, porque o jardineiro que presta serviços a ele por 5 anos sou eu! Liguei apenas para me certificar de que ele está satisfeito com o meu trabalho!”

Sabe por que lhe contei essa estória? Para lembrar que você até pode se achar uma pessoa romântica, mas isso não significa, necessariamente, que a pessoa que você ama acha o mesmo e está satisfeita. E é por isso que a comunicação é tão importante. Afinal, se você está num relacionamento, comprometido com o desejo de fazer dar certo, nada mais coerente do que alinhar suas atitudes com as expectativas da pessoa amada.

Claro que você não precisa fazer o que não quer só para agradar o outro o tempo todo. Mas claro também que duas pessoas que se amam precisam aprender a ceder, a fazer concessões e a ajustar muitas de suas escolhas e de seu comportamento a fim de viver de modo prazeroso. É este o grande exercício e o grande aprendizado do amor.

Muitas pessoas, especialmente as mulheres, reclamam da falta de romantismo no relacionamento. Na nossa cultura, romantismo tem a ver com gentileza, carinho, demonstrações de afeto, atenção e preocupação com o outro. Tem a ver com presentinhos fora das datas comerciais, surpresas, jantar à luz de velas, flores, café da manhã na cama, entre outras atitudes que nutrem e fortalecem um encontro amoroso.

No entanto, cada um tem seu jeito de sentir e, principalmente, de mostrar o que sente. E embora haja certo consenso sobre como é uma pessoa romântica, ainda há espaço para muitas interpretações e conclusões sobre o assunto. Não deixe que os famosos desencontros de comunicação estraguem seu namoro ou seu casamento.

Fazer perguntas como “você gostaria que eu fosse mais romântico?”, “o que é romantismo para você?”, “o que gostaria que eu fizesse para se sentir uma pessoa mais amada?” demonstra uma maturidade rara e um comprometimento capaz de transformar o seu relacionamento num encontro onde há parceria, companheirismo, confiança, desejo e vontade de investir cada vez mais nesta oportunidade de ser realmente feliz!

ROSANA BRAGA é palestrante, jornalista, consultora em relacionamentos e autora dos livros “O poder da gentileza” e “Faça o amor valer a pena”, entre outros.www.rosanabraga.com.


Link original: https://www.jj.com.br/estilo/o-romantismo-esta-em-falta/
Desenvolvido por CIJUN