Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Trabalho e tortura

| 08/06/2014 | 00:05

PARA LER E PENSAR
“O homem é feito de tal modo que, quando alguma coisa incendeia a sua alma, as impossibilidades desaparecem” 
(Jean de la Fontaine, 1621-1695, escritor francês)

De fato, tem razão o famoso fabulista francês: quando somos invadidos por um grande entusiasmo, conseguimos vencer obstáculos que julgávamos intransponíveis. É o que chamamos, hoje em dia, de motivação. Aqueles que sabem motivar quem está ao seu redor, conseguem resultados espantosos porque fazem os outros acreditarem em si próprios e terem confiança. Mas não podemos esquecer que as pessoas capazes de inflamar os outros (e veja que na palavra inflamar já temos a ideia de fogo que está em “incendiar a alma”) são capazes também de levá-los à ruína. A motivação, em si, não é boa nem má. Depende do objetivo que temos em vista. Líderes carismáticos não são necessariamente líderes virtuosos, que querem o bem daqueles que os seguem. Lembremo-nos de Hitler, por exemplo. Portanto, devemos refletir bem sobre essa frase de La Fontaine, que pode servir também como um alerta sobre a natureza humana.  

VOCÊ SABIA?
Dizem que o trabalho dignifica o homem. Sem dúvida. Mas quando é feito em condições penosas ou desumanas só provoca sofrimento físico e mental, só causa revolta e indignação. E o curioso que essa ideia de sofrimento já está presente na própria origem da palavra trabalho. Segundo os especialistas, trabalho deve vir da palavra latina tripalium, nome de um instrumento de tortura composto de três paus onde um condenado era amarrado. Da ideia inicial de sofrimento e padecimento, passou-se, com o tempo, à ideia de luta, esforço, acabando por agregar as noções de atividade e, por fim, a noção de trabalho. Como na antiguidade o trabalho físico era visto como um sofrimento, executado quase exclusivamente por escravos, a associação entre tortura e trabalho logo se estabeleceu. E a frase bíblica “ganharás o pão com o suor do teu rosto” ajudou a reafirmar essa associação. Por isso, para muita gente, trabalhar ainda é uma tortura…

DOUGLAS TUFANO é autor de livros didáticos de português e professor de redação. Acesse www.douglastufano.com.br para saber mais sobre o trabalho do autor


Link original: https://www.jj.com.br/estilo/trabalho-e-tortura/
Desenvolvido por CIJUN