Hype

O invisível e você


DIVULGAÇÃO
Inspire
Crédito: DIVULGAÇÃO

O essencial é invisível aos olhos, dizia o escritor Saint-Exupéry. Se você pensar em amor, alegria, saúde, felicidade, o que pode ser mensurado, agarrado com as mãos e levado na sua mala de viagem? Nada não é mesmo? E qual a importância de bolsas caríssimas, lençóis de linhos egípcios, se, quando morrermos, estaremos nus diante da eternidade? O nosso estado mental é a garantia de termos uma vida saudável para as nossas sucessivas reencarnações.
Gen Drime, monge budista, nos afirma, segundo os ensinamentos de Gesh-la, que não devemos nos preocupar tanto com o câncer e a covid, que nos matam nesta vida, mas sim com nossos estados mentais aflitivos que nos acompanham sucessivamente.
Quantas vezes não estamos com a mente negativa por mero descuido! Um pensamento negativo tem a chance de acabar com nosso dia, não é mesmo? Mas, e se fizermos uma higiene mental (Augusto Cury fala lindamente sobre esta ideia) e nos afastarmos de tudo que causa pensamentos negativos e dissabores, não podemos ter uma vida mais saudável?
Sem as ideias preconcebidas, sem o preconceito, podemos moldar nossas vidas para que aceitemos as pessoas como elas são, nos aceitemos também com nossas falhas e tentar conviver harmoniosamente com todos, ainda mais nessa época tão especial, como o Natal.
A generosidade é o grande legado da humanidade. Ao ter um olhar generoso sobre todos os processos que passamos, entendemos que é preciso saber lidar com a vida, mas não com essa vida glamourosa, de instagram, mas a vida que acontece no cotidiano. Ter olhos de ver, sentir o cheiro da terra, o olhar meigo do cachorro, assar um pão para o vizinho, sentar-se com um filho, olhando-o nos olhos e dizendo: “Eu te amo e sempre te esperei”. São coisas simples que fazem a grande diferença na vida.
Não adie o abraço, não adie a conciliação, não adie seus sonhos. Neste final de ano, tempo de reflexão, não adie mais os projetos e propósitos desse grande ser humano que você é!


Notícias relevantes: