Hype

Pais de primeira viagem

São nas primeiras descobertas e na convivência diária com o bebê que se aprende a ser pai


Arquivo pessoal
William Paixão e Maria Júlia
Crédito: Arquivo pessoal

Ser pai de primeira viagem pode ser resumido como uma mistura de sentimentos e mudanças radicais na vida de um homem. A chegada do primeiro filho é algo incrível. Tudo novo, sem manual, com regras para seguir, mas é nas primeiras descobertas e na convivência diária com o bebê que se aprende a ser pai.

Assim tem sido para William Roberto Soares Paixão, de 38 anos, pai de Maria Júlia, de um ano. Como ele mesmo enfatiza, a paternidade é o melhor projeto que um homem pode ter em sua vida. “Ser pai é uma descoberta diária. É um amor que cresce a cada dia, a cada nova fase. Se eu soubesse o quão seria incrível ser pai, tinha tentado antes”, relata.

Descobrir que seria pai durante a pandemia foi um susto para William. Além de inesperado, ele não era casado com sua atual esposa. “A notícia veio acompanhada de uma série de medos e receios. Não apenas por conta da pandemia, mas porque nunca nos sentimos preparados para uma responsabilidade tão grande. Desde os primeiros dias tivemos que nos preparar o melhor possível para isso”, conta.

A responsabilidade de ser um bom pai é uma meta pessoal tão importante quanto a realização profissional para o homem. “Eu imaginava não estar suficientemente preparado para ser pai. Hoje entendo que a paternidade é moldada no exercício diário dessa relação e, por mais maduros, experientes e até estabilizados financeiramente, a paternidade é um projeto de entrega e crescimento mútuo”, informa William.

Com a chegada de sua primeira filha, a vida de William mudou completamente e alguns hábitos e rotinas também tiveram que mudar. “Foram nove meses nos preparando para a vida de pais e de casado. Foi uma mudança radical, mas hoje não consigo entender o que me movia antes. Toda a rotina gira em torno dela, do desenvolvimento e das necessidades que ela apresenta. E tudo vale a pena quando voltamos para a casa e ganhamos aquele abraço apertado.”

O sonho e a vontade de ser pai sempre existiram e, com o nascimento de Maria Júlia, William pode sentir o que é o verdadeiro amor. “Hoje não imagino minha vida sem ela, minha razão de existir é o fato de ser pai da Maju. É um amor que só de pensar já me faz marejar os olhos, ela é a minha vida toda”, conta emocionado.

ACONCHEGO
Apesar de alegria, satisfação e vontade de ser pai, o jornalista Emerson Leite, de 44 anos, pai da pequena Liz, de dois meses, gostaria de poder ajudar ainda mais no trato com a bebê. “Minha maior dificuldade é não poder ajudar como eu gostaria. Sei que tenho limitações, porque nesta fase ela depende exclusivamente da mãe, mas eu tento ajudar no que posso. Faço o jantar, fico com ela, brinco, troco as fraldas, ajudo a dar banho e, mesmo com ela ainda sendo pequena, já estou quase dando banho no chuveiro mesmo. Acho legal essa relação para criarmos mais afinidade e termos o nosso momento de pai e filha”, conta.

A vinda da Liz lhe proporcionou um misto de emoções e uma mudança radical em sua vida. “Hoje em dia tem decisões que eu tomo que antes seriam totalmente diferentes. Tudo é pensado exclusivamente na Liz e isso foi uma mudança drástica para mim, porque, a partir de agora, a gente não pensa mais em nós, é sempre nos filhos e a família em primeiro lugar”.

Para os homens, ser pai é uma experiência que pode provocar alguns sentimentos muito profundos, nunca antes percebidos por eles e, para Emerson, a vontade de ter mais filhos não falta. “Acredito que todo homem tem o sonho de ser pai porque isso é instinto, principalmente ter a quem passar tudo que aprendemos na vida, nossas experiências e o amor que a gente recebeu da família”, diz.

E completa. “Tenho vontade de ter mais filhos, mas também são várias questões que precisam ser analisadas e conversadas. É uma decisão em conjunto, mas vontade não falta”, relata.

A felicidade está nas pequenas coisas, principalmente com a paternidade. Para Emerson, ser pai é transformador e traz experiências únicas que são fonte de novas alegrias a cada dia. “Dizem que menina é mais apegada ao pai e eu já me apropriei disso. É transformador chegar em casa e ver a felicidade dela ao me ver, sem contar que ela é a minha cara, então é uma dupla felicidade ter uma filha muito parecida comigo. Eu sou muito feliz e grato com a paternidade”, completa.

MEU AMIGO
Aos 35 anos, o repórter cinematográfico Luis Gustavo Marques da Silva vive um dos momentos mais felizes de sua vida. Há dois anos e 10 meses se tornou o pai do pequeno Déric Pedroso. Experiência que tem resultado em crescimento pessoal.

“Ser pai pela primeira vez é uma experiência muito boa, mas confesso que no início tive muito medo. A ficha demorou um pouco pra cair, mas ao longo dos meses, quando a barriga da mãe dele foi crescendo, fui me dando conta que era realidade.”

A convivência tem sido a melhor possível e, como ele mesmo conta, tenta ser o melhor pai do mundo. “A minha maior dificuldade em ser pai de primeira viagem é o medo de não conseguir ser quem ele espera que eu seja por isso eu faço uma reflexão no que eu errei para que eu não cometa o mesmo erro novamente”, conta emocionado.

Não sabe se terá outros filhos, mas espera conseguir dar o melhor para seu pequeno. “Hoje eu não sei se teria mais um filho, mas é Deus quem sabe de todas as coisas. Se for da vontade dele será muito bem vindo. Sempre tive vontade de ser pai hoje vejo quanto é bom. Minha vida mudou e muito com a chegada do Déric. Eu tive que deixar de fazer muitas coisas para poder me dedicar a ele e ajudar a Daiane, principalmente no início, pois era tudo novo para ambos e fomos aprendendo muito no dia a dia, com cada choro, cada sorriso e, claro, cada dorzinha dele”, confessa.

Só espera poder agradecer e vivenciar os melhores momentos com seu pequeno. “Gostaria de agradecer primeiramente à Deus por ter dado essa oportunidade de me escolher para ser pai do Déric, agradecer a Daiane por ter dado esse meu maior presente. À minha família, meu pai e minha mãe por tudo que têm feito pelos netos e que Deus me abençoe para que eu possa ser exemplo para o Déric e que ele tenha muito orgulho de mim. Filho papai te ama.”


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: