Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Centro é travado por confusão e congestionamento

| 12/10/2014 | 22:05

Logo em uma das entradas de Louveira, pela principal avenida José Niero, o movimento intenso de veículos, carros e caminhões – próximo à linha do trem e somado às tentativas ininterruptas de pedestres para atravessar as ruas – complica o trânsito da área mais central da cidade. Nos horários de pico, início da manhã e fim de tarde, o problema se agrava ainda mais com o congestionamento que barra veículos parados.

Segundo moradores, comerciantes e pedestres que passam, diariamente, no cruzamento das avenidas José Niero e Tiradentes, acidentes já foram registrados no local e falta sinalização para que todos se sintam mais seguros para circular. Os semáforos, inclusive, estão instalados, mas não funcionam há anos, como denunciaram os entrevistados.

“Não há sinalização nenhuma. Para saber se o trem está vindo só temos a buzina e é muito alta. Ela incomoda muitas vezes”, afirma o cabeleireiro Sérgio Damasceno, que há 17 anos mantém seu salão tradicional na avenida José Niero, bem em frente ao confuso cruzamento. Seu filho, também cabeleireiro, Rariel Damasceno, diz que os semáforos foram instalados há uns quatro anos e, desde então, não são ativados. “No dia que testaram, o trânsito ficou ainda pior”, lembra.

O tráfego de carros parece vir de todos os lados e vem mesmo, já que as duas avenidas têm movimento nos dois sentidos. A avenida Tiradentes, inclusive, dá acesso ao outro lado da linha do trem – ao bairro Vila Pasti – e para que a conversão seja feita de quem vem ou vai, é preciso cooperação entre motoristas que cedem a passagem uns dos outros.

Reféns da boa vontade
Pedestres sofrem porque, mesmo com faixa de pedestres, o semáforo com botão desativado não colabora e eles ficam reféns da boa vontade de motoristas que param e, então, os deixam passar. “É ruim para atravessar. Já vimos vários acidentes”, conta Benedito Antonio de Moraes.

“Muitos carros atrapalham para que a gente atravesse”, diz Antonio Carreiro da Silva. A maioria dos pedestres dali, aliás, é idosa. Pelos menos, enquanto a reportagem esteve no local. “Os carros geralmente param e nos ajudam”, afirma Maria da Silva, 77 anos, de bengalas, que atravessa a avenida com frequência.

Trem de cargas
Outra reclamação dos moradores e comerciantes é sobre a buzina do trem. Curiosamente, o único recurso de aviso da aproximação dos vagões assusta e incomoda as pessoas. “O som é muito alto”, dizem. Ainda que seja habitual a passagem do trem por ali, toda vez que a buzina anuncia a sua chegada, moradores param para ver, como em cidades do interior paulista. Sem cancela, além da buzina, há apenas uma placa de ‘pare, olhe e escute’ na rua.

Planos de mobilidade
A prefeitura informou que em relação ao cruzamento da via férrea, existe um projeto de obras e modificação do sistema viário para o local. Segundo a assessoria, o projeto está em fase de licitação, mas nenhum detalhe foi divulgado. A prefeitura também não respondeu sobre a utilização do semáforo e por qual motivo o sistema está desativado. Em relação à avenida José Niero e o congestionamento nos horários de pico, a prefeitura ainda informou que estuda alternativas viárias para modernizar a cidade e melhorar o fluxo desta avenida (extensão da Rodovia Geraldo Dias).


Link original: https://www.jj.com.br/jj-nos-bairros/centro-e-travado-por-confusao-e-congestionamento/
Desenvolvido por CIJUN