Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Ilhas no oceano Atlântico têm tudo a ver com o Brasil

| 20/05/2014 | 17:53

No Oceano Atlântico, entre o Velho Mundo (a Europa) e o Novo Mundo (as Américas) repousam as ilhas do Arquipélago dos Açores. São nove ilhas espalhadas numa região de vulcões, tempestades, nevoeiros e ventos fortes. Seus habitantes falam português e sua história têm muito a ver com as origens do Brasil.

Distante
A 1.500 km do litoral europeu, o arquipélago se estende por 600 km. Formado pelas ilhas Corvo, Faial, Flores, Graciosa, Pico, Santa Maria, São Jorge, São Miguel e Terceira, o lugar espalha-se no encontro das placas tectônicas da Eurásia, África e América. Ou seja, está muito sujeito a terremotos e a erupções vulcânicas.

Seu solo, por sinal, é basicamente lava resfriada depois de muita explosão de vulcões. Na Ilha de São Miguel – a maior de todas -, há falésias muito altas, brotadas de magma resfriado. A fertilidade da terra também vem desses vulcões, hoje adormecidos, mas que mantêm atividade, como fumaça expelida de suas crateras. O negro solo vulcânico, rico em nutrientes, favorece o florescimento de bosques e o cultivo da agricultura.

Explosão
Foi na ilha Faial que ocorreu a última grande explosão vulcânica da região, em 1957. O Capelinhos, um vulcão submerso, entrou em erupção e suas lavas fizeram emergir duas ilhotas. Casas foram cobertas por cinzas e seus moradores deixaram o lugar, alguns para não mais voltar.

Rota
Caminho obrigatório dos navegadores que viajavam entre a Europa e a América, os Açores foram colonizados pelos portugueses a partir da década de 1420. Holandeses também passaram e se estabeleceram por lá. O nome vem de uma ave de rapina – o açor, parente do falcão. O português Diogo de Silves, que chegou lá em 1427, avistou milhafres, aves de rapina parecidas com açores, e batizou as ilhas com o nome do pássaro.

A esquadra de Pedro Álvares Cabral, quando veio para o Brasil, em 1500, também passou por lá. Os navegadores procuravam os Açores como ponto de abastecimento nas rotas marítimas. Europeus que voltavam das Índias ou das Américas passavam necessariamente pelo lugar.

Colonização
A partir dos anos de 1740, o governo português passou a incentivar a imigração de açorianos para a ocupação do sul do Brasil, então colônia de Portugal. Estabeleceram-se principalmente nas terras que hoje formam Santa Catarina. Estima-se que 25 % dos catarinenses descendam de açorianos (ou, dizendo de outra forma, de cada quatro catarinenses, um veio dos Açores).

Baleias
Lugar de procriação de baleias, por muito tempo a região abrigou navios de caça desses gigantescos mamíferos do mar. Com a proibição de sua caça, o cenário passou a ser ponto turístico de observação de baleias e cachalotes. O turismo, por sinal, é hoje a grande indústria do arquipélago. O lugar reúne lugares históricos, beleza natural e povo acolhedor. E, para os brasileiros, a língua familiar e um pedaço da própria história.


Link original: https://www.jj.com.br/jotinha/ilhas-no-oceano-atlantico-tem-tudo-a-ver-com-o-brasil/
Desenvolvido por CIJUN