Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Lalá, mestre da criatividade

| 14/05/2014 | 16:42

Lamartine de Azeredo Babo foi um compositor, cantor, humorista e produtor musical. Ficou conhecido como Lamartine Babo (para os amigos, era o Lalá). Nascido no Rio de Janeiro, em 1904, morreu na mesma cidade, em 1963. Seus pais, Leopoldo e Bernarda, tiveram 12 filhos, mas apenas três chegaram à idade adulta. A família gostava de música e promovia saraus e festas, em que compareciam músicos e compositores. Sua mãe e as irmãs de Lalá tocavam piano.

POEMA
Aos 13 anos, venceu um concurso escolar de poemas. Compôs na mesma idade um foxtrote, “Pandoran”, e uma valsa, “Torturas de amor”. Perdeu o pai quando tinha 14 anos, e precisou trabalhar para ajudar a família. Foi offce-boy numa empresa de energia elétrica e passou a se enturmar com jornalistas e artistas.

TEATRO
Trabalhou numa seguradora, até o momento em que o chefe o flagrou compondo durante o expediente. Demitido, passou a dedicar-se em tempo integral ao teatro de revista e ao jornalismo. O teatro de revista era um tipo de espetáculo de muito sucesso no Brasil do século passado, entre as décadas de 1920 e 1950. Misturava números musicais, quadros cômicos e coreografias. Lamartine passou a escrever roteiros para as revistas da época.

MÚSICA
Mas foi na música popular que Lamartine ganhou fama. Compôs um dos maiores sucessos do cancioneiro pop brasileiro, “Linda morena”. Assim como a valsa “Sonhei que estavas tão linda”, um dos grandes sucessos de Francisco Alves, o mais famoso cantor do Brasil nas décadas de 1930 e 1940.


Link original: https://www.jj.com.br/jotinha/lala-mestre-da-criatividade/
Desenvolvido por CIJUN