Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Sesc recebe especialista em envelhecimento

MARIANA CHECONI | 16/10/2019 | 05:01

O Sesc Jundiaí promove o ‘Seminário Sobre Envelhecimento – Atividade Física e Cognição’, de hoje (16) até sexta-feira (18), oferecendo uma extensa programação com palestras e vivências em diversas linguagens, que visam estimular conhecimento e troca de saberes sobre um tema de interesse para à toda sociedade.

A proposta é resultado de um acompanhamento sobre o envelhecimento da população mundial e o aumento da longevidade. Com isso, cresce também a necessidade da criação de alternativas para proporcionar uma melhor qualidade de vida e bem-estar aos idosos.

A abertura contará com palestra da filósofa e psicanalista Viviane Mosé, especialista em Elaboração e Implementação de Políticas Públicas, que vai discutir as potencialidades do corpo idoso na sociedade atual, os desafios e aprendizados que a essa população enfrenta no cotidiano para acompanhar a evolução e anseios da longevidade.

Ela explica que precisamos aprender a ‘ficar velho’. “O envelhecimento faz parte da vida, é algo natural. As pessoas precisam aprender que velhice não é sinônimo de algo ruim. Pelo contrário, possui muitas coisas boas. Nos tornamos mais capazes de lidar com as situações e com nós mesmos. Amadurecemos, criamos mais conhecimento e até mesmo mais liberdade”, afirma.

A filósofa conta que as pessoas têm o costume de romantizar a infância e achar que a juventude é a melhor fase da vida. Em sua palestra, procura desmistificar esse conceito. “A juventude é a fase mais angustiante da vida de uma pessoa. É época de incertezas. Os jovens não sabem como será o futuro. Quando envelhecemos, temos um maior controle sobre a própria vida. Velhos também têm vida amorosa, sexual. Muitos descobrem novas amizades, novos amores e até casam-se novamente.”

Viviane explica que a maioria das pessoas considera o envelhecimento algo ruim. Isso ocorre principalmente porque a indústria do consumo faz um grande apelo. “É só pegar como exemplo os produtos de beleza. São feitos para deixar a pessoa, principalmente a mulher, mais jovem. Porque envelhecer é considerado um problema que precisa ser escondido”, explica.

“Além disso, as pessoas costumam associar o envelhecimento à morte. Não deveriam, afinal, isso pode acontecer em qualquer idade, não só com os velhos”, afirma a filósofa.

Para lidar com a velhice, precisamos aprender a envelhecer, pois o Brasil, que hoje é um país de meia-idade, se tornará um país de velhos em pouco tempo. A expectativa de vida aumentou, e por isso é preciso preparar as cidades para o bem- estar da população mais velha. “Não só com medidas públicas, como saúde e direitos básicos como a aposentadoria, mas a família também para cuidar do velho. Todos precisam acima de tudo aceitar a velhice e entender que as rugas são apenas marcas da idade. A vida pode ser muito feliz”, completa Viviane.

Outras Atividades
A programação do seminário pretende envolver profissionais que lidam diretamente com o público idoso e estudantes, promovendo espaços para debates e trocas de experiências juntamente com profissionais e pesquisadores convidados de diversas áreas, disseminando o conhecimento e suscitando reflexões sobre a corporeidade da população idosa, além de debater as potencialidades e limitações dessa faixa etária.

“O intento é atender não somente os profissionais que atuam com a questão do envelhecimento, mas também o público em geral”, comenta a educadora físico-esportiva e monitora de atividades do Sesc Jundiaí, Gleucy Martimiano Lópes.

Com uma programação em diversas linguagens, o Sesc incentiva a integração entre gerações oferecendo atividades que buscam estimular o envolvimento entre pessoas de diferentes idades.

Gleucy aponta que são ações voltadas ao desenvolvimento de habilidades corporais e cognitivas como aliadas estratégicas para promover mudanças significativas na autonomia dos participantes, no aprendizado e no respeito à diversidade e à inclusão social.

As inscrições já estão abertas, tanto pelo site do Sesc quanto na Central de Atendimento das unidades do Sesc em São Paulo.

Os valores vão de R$ 30 (inteira) a R$ 9 (Credencial Plena) e abrangem todas as atividades do Seminário.


Leia mais sobre | |
Link original: https://www.jj.com.br/jotinha/sesc-recebe-especialista-em-envelhecimento/
Desenvolvido por CIJUN