Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

10 anos do serviço “Família Acolhedora”

Da redação | 22/11/2019 | 15:33

Em comemoração pelos 10 anos do Família Acolhedora, a Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS) da Prefeitura e a rede socioassistencial promoveram um encontro, com palestra sobre os desafios do acolhimento familiar, com a assistente social Jane Valente. Participaram do evento realizado na Cúria Diocesana cerca de 100 pessoas, entre servidores da UGADS, conselheiros tutelares, membros do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Ministério Público, Vara da Infância e Juventude de Jundiaí e outros dez Municípios da região, além de algumas das 18 famílias atualmente inscritas no serviço em Jundiaí.

O prefeito Luiz Fernando Machado destacou a importância do abrigamento familiar como opção ao institucional no estabelecimento de vínculos afetivos para a criança. “Por seus números e índices, Jundiaí é uma cidade de referência para as demais e isso se deve à contribuição que os jundiaienses dão para o seu crescimento. E não é diferente no caso deste serviço, em que as pessoas contribuem para a vida destas crianças, que, por alguma triste ocasião, tiveram de se afastar de suas famílias de origem. Fica aqui o meu reconhecimento pessoal a essas pessoas, àquelas que tiveram a iniciativa há dez anos e aos profissionais envolvidos”.

A gestora da UGADS, Nádia Taffarello Soares, estende o convite para as pessoas interessadas em entrar para o serviço. “Jundiaí conta com o serviço, que agora batizamos de ‘Travessia’, muito antes de ele virar uma política pública tipificada pela Assistência. Com este encontro, espero fortalecer ainda mais o serviço e o trabalho preventivo junto às famílias. Estendo o convite a mais pessoas interessadas, que podem se inscrever, aprender sobre o seu funcionamento, passar pelas capacitações oferecidas pela Prefeitura e, no futuro, contribuir para as crianças e adolescentes nos momentos em que mais precisam”.

Moradores do Eloy Chaves, Anderson e Tatiane Catharin estão em seu segundo acolhimento. “Soubemos do serviço por meio de amigos e, depois de muito diálogo, nos inscrevemos. Cada criança traz consigo sua história e seus sentimentos, o que torna o acolhimento algo desafiador, mas cheio de amor e carinho. Sabemos que é algo temporário e o desprendimento traz suas dificuldades, mas a sensação de dever cumprido e de ter feito o bem são superiores”, explica Tatiane.

O vereador Antônio Carlos Albino representou a Câmara Municipal.

O serviço
O Família Acolhedora é o serviço responsável pelo encaminhamento sigiloso de crianças recém-nascidas e de adolescentes até a idade de 17 anos para acolhimento provisório após determinação do Poder Judiciário pelo afastamento das famílias de origem por causas distintas, como negligência, maus tratos, uso de substâncias psicoativas, violência e abandono. Atualmente há 18 famílias cadastradas no serviço em Jundiaí.

As pessoas interessadas no serviço devem se inscrever pela internet e não podem estar na fila de adoção, devendo passar por entrevistas, visitas domiciliares e encontros de capacitação. Os interessados devem residir em Jundiaí, ter mais de 21 anos, não possuir antecedentes criminais e não apresentar problemas psiquiátricos e/ou dependência de substâncias psicoativas.

O serviço em Jundiaí fica na avenida Dr. Pedro Soares de Camargo, 587, Anhangabaú, e o telefone para contato é o (11) 4521-5550, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/10-anos-do-servico-familia-acolhedora/
Desenvolvido por CIJUN