Jundiaí

Mortes por covid-19 no AUJ têm queda de 55% entre agosto e setembro


Divulgação
Itupeva é a cidade do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) com maior queda no número de óbitos em trinta dias
Crédito: Divulgação

O número de mortes por coronavírus nas cidades que integram o Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) teve queda de 55% nos últimos 30 dias. No total, entre 21 de agosto e 21 de setembro foram registradas 84 mortes a menos em relação ao período de 21 de julho a 21 agosto, em que foram contabilizados 153 óbitos na região. O montante de casos positivos também apresentou queda no último mês. Com 4.142 casos confirmados em 30 dias entre as sete cidades da região, a redução de positivos foi de 31,3% no período.
Entre as cidades, Itupeva merece destaque por apresentar o melhor índice. Em 30 dias a queda no número de mortes no município foi de 90%. Foi registrado apenas uma morte no período e, no total a cidade contabiliza 35 óbitos.

Em segundo lugar aparece a cidade de Campo Limpo Paulista com 85,7% de queda nos falecimentos em relação a julho e agosto. Hoje a cidade contabiliza 66 mortes causadas pelo vírus.

Várzea Paulista registra 75 mortes, sendo seis confirmadas nos últimos 30 dias. A queda em relação ao mês anterior foi de 71,4%.

Com 22 óbitos confirmados, sendo um no último mês, Jarinu teve queda de 66% no período.

Já Cabreúva teve queda de 57,1% no número de mortes nos últimos 30 dias. Isso equivale a quatro óbitos a menos em relação ao mês anterior.

Diferente das demais cidades, em Louveira os índices se mantiveram estáveis e, nos últimos dois meses foram registradas quatro mortes em cada um. No total, desde o dia 23 de março, a cidade registrou 25 óbitos.

NA CIDADE

Com 402 mortes registradas desde o início da pandemia, para Jundiaí a queda de falecimentos no período foi de 43,6%, o que corresponde a 38 mortes a menos nos últimos 30 dias. Assim, a cidade ocupa o sexto lugar no ranking do AUJ.

De acordo com o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC), desde agosto o município vivencia a estabilização e a inflexão da curva de contágio do vírus e com isso foi possível a desmobilização de leitos exclusivos para a doença, tanto em enfermaria quanto na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Vicente (HSV).

Vale ressaltar que a rede pública chegou a disponibilizar 85 leitos de UTI e 107 de enfermaria para o atendimento específico aos pacientes com covid-19 no pico da pandemia. Hoje, o São Vicente dispõe de 69 leitos de UTI e 57 de enfermaria exclusivos, quando a demanda no Pronto-Socorro apontou a inversão da curva de necessidade de ocupação.

Nesta fase de combate ao vírus, novas estratégias estão sendo estudadas para que a doença possa continuar sob controle. A cidade passou por várias etapas desde a testagem de sintomáticos, inquérito epidemiológico, até a ampla testagem realizada atualmente, com a identificação do caso com RT-PCR e monitoramento dos comunicantes.

NO ESTADO

Pela nona semana consecutiva, o estado de São Paulo registra queda no número de novas internações por covid-19. Na 38ª Semana Epidemiológica, entre 13 e 19 de setembro, houve queda de 3% no número de novas internações na comparação com a semana anterior. No entanto, nesta mesma semana, o estado observou um pequeno crescimento no número de mortes e de casos confirmados na comparação com a semana anterior.

Entre os dias 13 e 19 de setembro, o estado registrou 1.360 novas mortes, média móvel de 194 óbitos por dia, acima do que foi anotado na semana anterior (37ª Semana Epidemiológica) quando houve 1.254 novas mortes, com média móvel de 179 óbitos por dia. Vale ressaltar que a média móvel é calculada somando o número de casos da semana e dividindo pelo total de dias.


Notícias relevantes: