Jundiaí

Vendas on-line é a aposta para a Black Friday deste ano

A data deve ser a melhor dos últimos anos e os números já mostram esta realidade


divulgação
Comprar pela internet este ano será opção para o consumidor
Crédito: divulgação

A Black Friday é uma data que costuma movimentar bastante o comércio, marcada pelos grandes descontos e considerada a data de compras do Natal. Neste ano acontecerá no dia 27 de novembro, mas, por conta da pandemia já se espera mudanças e as vendas on-line devem ser o carro-chefe. Segundo a empresa AppsFlyer, que levanta dados de marketing, a data deve ser a melhor dos últimos anos e os números já mostram esta realidade.

Segundo a empresa, na cidade de São Paulo, por exemplo, houve aumento de 700% em instalações de aplicativos de delivery dessa categoria e de 234% em suas utilizações. Os aplicativos de compras tiveram 100% mais procura na Brasil, em razão da pandemia.

Com isto, espera-se que a utilização dos mesmos seja acentuada com as diversas promoções promovidas pela data, como já acontece usualmente e o e-commerce, já alavancado pela pandemia, tenha muita procura. É o que afirma o ex-presidente da Associação Brasileira de Empresas e Profissionais de Logística (ABEPL), Anderson Moreira, diz que o on-line é tendência.

"O pessoal se acostumou, até pela necessidade durante a pandemia e as vendas aumentaram absurdamente. Esse hábito não tem volta. As pessoas vão continuar pela comodidade e esperamos um crescimento de pelo menos 30% neste ano. Acho que a Black Friday vai atender uma demanda reprimida das pessoas que precisavam de algo e esperaram para compras durante a pandemia", conta ele sobre a reabertura do comércio físico que o on-line não supre.

Em Jundiaí, os comerciantes apostam nas vendas on-line, mas sabem que presencialmente os consumidores também acabam gastando mais. Segundo a Associação Comercial Empresarial (ACE), a Black Friday cresce ano a ano no Brasil e os pequenos lojistas já começaram a enxergar a oportunidade de expandir as vendas com esta data, principalmente em razão do isolamento social. "É importante o comerciante local também aproveitar a data e investir em ofertas que realmente chamem a atenção do consumidor", diz o presidente Mark William Ormenese Monteiro.

Ele reforça que a data, mais restrita ao comércio eletrônico, já chama a atenção das lojas físicas e a expectativa é positiva para este ano, principalmente por conta da reabertura do comércio de rua e das lojas de shoppings com o horário normal. "Apesar de o município estar na Fase Verde, as regras sanitárias e protocolos de saúde estão mantidas e todos devem ficar atentos às restrições."

Pensando no atendimento com foco no presencial, Cecília Mafra, proprietária de uma loja de cosméticos física e on-line, pensa em promoções para a Black Friday. "Eu pretendo fazer na loja física porque no on-line as margens do marketplace são mais apertadas, então vou fazer só presencial mesmo. Eu acredito que a data irá aumentar as vendas sim, embora para mim não tenha tido queda nas vendas nas pandemia. Com o Auxílio Emergencial as vendas melhoraram muito e as pessoas voltaram a consumir", explica.

PELOS SHOPPINGS

A gerente de marketing do Maxi Shopping Jundiaí, Sílvia Helena Orenga Sandoval, adianta que o local está preparando, como faz todos os anos, uma campanha promocional para a Black Friday, mas, nessa edição, com uma atenção especial voltada para os protocolos sanitários.

Silvia diz ainda que o Dia das Crianças foi um bom aquecimento para as vendas que virão no final de novembro. "As vendas superaram as nossas expectativas e esse aquecimento mostrou que os clientes estão confiantes no ambiente seguro que o shopping proporciona, seguindo todas as normas estabelecidas, e voltando a fazer suas compras nas lojas com tranquilidade", ressaltou ela sobre os protocolos sanitários obrigatórios por conta da pandemia.

O assessor de imprensa do Paineiras Shopping, Eduardo Pereira, diz que há planos para que a data seja levada para o shopping. "Temos o desenvolvimento de uma campanha que será apresentada aos lojistas e, dependendo da reação dos lojistas, o quanto vão dar de desconto, vamos fazer a campanha. A decoração vai coincidir com a de Natal, que costuma ser feita no final de novembro, então vamos pensar em algo para conciliar a decoração de Natal e Black Friday."

Quanto às vendas do Dia das Crianças, Eduardo disse que houve um aumento nas lojas específicas, mas não tem relação com um aquecimento para a Black Friday. "Aqui tem só duas ou três lojas com apelo infantil, de roupas ou brinquedos. Tivemos algum movimento a mais, mas o Dia das Crianças não tem nada a ver com a Black Friday, assim como a Black Friday não tem a ver com o Natal."

Procurado para falar sobre a estratégia para este ano, o JundiaíShopping informou que ainda não tem informações sobre a Black Friday, pois ainda não há um planejamento específico para a data.

(Nathália Sousa)

 


Notícias relevantes: