Jundiaí

Ruas e avenidas são marcadas por acidentes

Em comparação com 2019, acidentes aumentaram nos últimos dois meses na cidade


COLABORAÇÃO/MOTOBOY XORORÓ
Acidente da última terça-feira no Centro envolveu vários veículos
Crédito: COLABORAÇÃO/MOTOBOY XORORÓ

Com a volta das atividades comerciais em Jundiaí, principalmente no período noturno, os acidentes de trânsito têm sido recorrentes, inclusive ocasionando óbitos. Só no mês de outubro foram pelo menos 10 registros dentro do perímetro urbano e nas rodovias que cortam a região.

Apesar dos registros, as autoridades falam em queda nos números. Segundo o diretor de trânsito da Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) de Jundiaí, Wlamir Costa, a quantidade de acidentes é mera aleatoriedade e não tem ligação com nenhum fato. "Não há sustentação para afirmar se estão ocorrendo mais ou menos acidentes. É uma aleatoriedade. A tendência do ano é decrescente, analisando dois meses não tem como comprovar um aumento do todo. Precisa analisar os dados ao longo dos anos. Em 2016 foram 46 mortes no trânsito e, de 2017 até agora, houve uma redução de 45%", relata.

O diretor também diz que a fiscalização com radares de velocidade não está em operação na cidade. "Não há nenhum radar em operação em Jundiaí. Começamos a implantar radares em março e, por conta da pandemia, suspendemos. Devemos retornar quando a pandemia acabar", reforça.

DADOS

Entre agosto e setembro de 2019 foram registrados 254 acidentes no viário municipal, contra 281 no mesmo período de 2020. Nestes dois meses, segundo dados da UGMT, foram registrados cinco óbitos em 2019, contra seis no mesmo período deste ano. As vias com maior concentração de acidentes são as que têm grande fluxo, como as avenidas Antonio Frederico Ozanan, 9 de Julho e União dos Ferroviários.

Segundo dados do Infosiga, banco de dados sobre acidentes do governo estadual, de janeiro a setembro de 2019, foram registrados 43 óbitos nas vias de Jundiaí. No mesmo período deste ano foram 45 vítimas do trânsito na cidade. Quanto aos acidentes fatais, o número registrado foi o mesmo neste ano e em 2019, 42, e as rodovias foram o local da maioria deles. Ainda no Infosiga, a quantidade de acidentes não fatais, de janeiro a setembro, foi 5,2% maior no ano passado, sendo as vias municipais o local de mais de 70% deles nos dois anos.

NAS RODOVIAS

Segundo a Rota das Bandeiras foram registrados 23 acidentes nas rodovias Engenheiro Constâncio Cintra e João Cereser, em Jundiaí, entre 1º de agosto e 20 de outubro deste ano. No mesmo período do ano passado foram 19 ocorrências. Nas duas ocasiões, os acidentes não resultaram em mortes.

A Autoban, responsável pelas rodovias Anhanguera e Bandeirantes, informa que foram registrados, entre 1º de agosto e 15 de outubro de 2019, 218 acidentes e 2 mortes. No mesmo período deste ano, foram registrados 183 acidentes e 2 mortes no trecho de Jundiaí.

A AB Colinas, administradora da rodovia Dom Gabriel Bueno Paulino Couto, informa que registrou no trecho de Jundiaí, em agosto e setembro de 2019, um total de 31 acidentes, sendo 19 com vítimas, não necessariamente fatais. No mesmo período deste ano foram 21 casos, sendo oito com vítimas.

O 4º Batalhão de Polícia Rodoviária informa que, entre julho e setembro do ano passado houve redução de 28,5% na quantidade de acidentes, com e sem vítimas, em comparação ao mesmo período de 2020.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: