Jundiaí

Alunos fazem reforço escolar presencialmente

MUNICIPAIS Alunos já iniciaram reforço escolar presencial e a iniciativa busca auxiliar a aprendizagem


ARQUIVO PESSOAL
Simone Silva fala da participação de Isadora no processo de avaliação
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Mesmo sem data para o retorno das aulas presenciais da rede municipal em Jundiaí, alguns alunos contam com o apoio da recuperação e de reforço presenciais em 49 escolas de ensino fundamental no município.

Respeitando todas as medidas de segurança e higienização necessária devido à pandemia, desde o início do mês 200 crianças têm sido atendidas nas escolas para realizar atividades e acompanhamento com os professores reforçando o conteúdo que já estudaram em casa nos últimos meses.

A gestora da Unidade de Gestão de Educação (UGE), Vastí Ferrari Marques, ressalta que a pasta tem atuado em várias frentes com o objetivo de elaborar um plano de retomada pedagógica na cidade para o ano de 2021.

Segundo a gestora, a retomada do reforço estudantil e da recuperação presencial faz parte de uma dessas frentes de atuação. "Nós entendemos que este processo é muito importante, junto com o apoio psicológico que já vem sendo realizado, pois muitas crianças sentem falta da escola e dos colegas. Para o reforço foi priorizado as unidades do ensino fundamental e os alunos do quinto ano que em 2021 seguem para a rede estadual ou particular de ensino e precisão dessa atenção", explica Vastí.

A participação nas aulas de reforço é feita conforme a necessidade do aluno. A professora solicita o encaminhamento após avaliar as atividades realizadas ou os pais fazem o pedido caso julguem necessário e identifiquem alguma dificuldade no processo de aprendizagem do filho. "As aulas acontecem em pequenos grupos e o aluno frequenta a escola uma vez por semana durante um determinado período que é estipulado pela escola podendo chegar há duas horas ou meno", completa a gestora.

O pequeno Arthur Ocaña, de 13 anos, iniciou nesta última quinta-feira (5) as aulas de reforço presencial na Emeb Irmã Úrsula Gherello para o grupo de alunos de inclusão social. O supervisor de produção Fernando Del Debbio Ocaña, de 53 anos, pai do Arthur explica que é nítida a evolução do filho mesmo tendo participado de apenas uma aula. "Meu filho tem autismo de intensidade leve e, em decorrência disso, desenvolveu também déficit intelectual, então ele está fazendo atividades que auxiliam o seu processo de alfabetização. Pelo número de atividades que já fez em um dia, percebo o avanço dele em comparação com esse período em que ficou estudando em casa", explica.

Ocaña reforça ainda que esse apoio é fundamental para o filho. "Durante o período em que o Arthur fica na escola com a professora, ele concentra toda a sua atenção nas atividades. Em casa, apesar dos meus esforços, a probabilidade dele se dispersar é maior e nesse sentido o reforço tem contribuído de forma positiva", completa.

RETOMADA

Quanto à retomada das aulas municipais presenciais para o ano que vem, a gestora de educação Vastí reforça que está sendo estudo a possibilidade de implementação de um modelo híbrido, de forma a contemplar as aulas presenciais e on-line. "Estamos estudando uma retomada escalonada com grupos de crianças de forma a atender as necessidades pedagógicas e os protocolos de segurança e higienização em um modelo híbrido. Estamos realizando também pesquisas com as famílias sobre o acesso às tecnologias e internet bem como a necessidade de cada um para aplicar um plano pedagógico que supra as necessidades", reforça.

Para avaliar o avanço e as dificuldades dos alunos da rede municipal, além do reforço estudantil, algumas turmas realizaram provas, que serão aplicadas nas escolas para identificar o nível de conteúdo e aprendizagem adquirido.

Quem participará da realização de uma dessas provas na próxima segunda-feira (9) é a aluna Isadora Carvalho, de 9 anos, que estuda na Emeb Professora Anna Rita Alves Ludke e está no quarto ano do ensino fundamental I. De acordo com a pedagoga Simone Silva Carvalho, de 43 anos, mãe da Isadora, a participação da filha neste processo é importante não só para avaliação, mas para acompanhar o avanço de aprendizado da filha. "Sempre fui muito participativa em relação às ações e atividades da escola, quando a professora fez contato informando sobre essa avaliação e o objetivo dela de avaliar o avanço de aprendizagem da Isadora eu quis que ela participasse mesmo não sendo obrigatório", diz.

O processo de treinamento dos funcionários, servidores e educadores das escolas municipais para a retomada das aulas em 2021 já foi iniciado. O objetivo desse treinamento, segundo a unidade de educação, é capacitar todos os funcionários para a retomada segura que atenda as exigências do atual cenário de pandemia. "Foi firmado um protocolo com o Cerest, órgão responsável pela saúde do trabalhador, com a vigilância sanitária e vigilância epidemiológica do município estabelecendo os protocolos e procedimentos que devem ser cumpridos. Esse protocolo foi aprovado e está publicado na imprensa oficial e com base nele estamos realizando essa capacitação. Todas as frentes têm por objetivo elaborar um plano pedagógico que atenda a necessidade de todos os alunos e atenda as medidas de segurança", diz.


Notícias relevantes: