Jundiaí

Cidades que compõem o Circuito das Frutas organizam retomada

TRADIÇÃO Juntas, as 10 cidades que fazem parte do Circuitos das Frutas, agregam 195 empreendimentos, sendo 52 integrados ao turismo rural


ARTHUR HENRIQUE
As cidades do Circuito contemplam a produção de mais de 100 frutas
Crédito: ARTHUR HENRIQUE

Com a suspensão das atividades culturais em virtude da quarentena da covid-19, o fluxo de turistas das 10 cidades que integram o Circuito das Frutas caiu drasticamente. Ainda que não haja números, sabe-se que, consequentemente, a venda de vinhos, frutas e itens derivados dos produtores locais também foi impactada.

Agora, com a retomada gradual, a região se organiza para se recuperar economicamente e para isto precisa atrair o turista. No total, 10 municípios integram o circuito turístico, entre eles, Atibaia, Indaiatuba, Itatiba, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira, Morungaba, Valinhos e Vinhedo.

A Prefeitura de Vinhedo e Itupeva afirmam que, nos últimos seis meses, a atividade turística foi praticamente nula. Jarinu alega que a suspensão das tradicionais festas sazonais e a queda das exportações foram os principais fatores agravantes.

Juntas, as 10 cidades que fazem parte do Circuitos das Frutas, agregam 195 empreendimentos, sendo 52 integrados ao turismo rural jundiaiense.

A cidade, conhecida como o berço da Niágara rosada, é um forte polo turístico não só por sua grande variedade de produção de frutas, mas também pela história que carrega. De acordo com a diretora do Departamento de Fomento ao Turismo de Jundiaí, Marcela Moro, o segmento foi o primeiro a parar suas atividades e é o último sendo retomado. "Naturalmente, os empreendimentos ficaram com suas práticas suspensas e têm reiniciado a recepção de turistas ainda de maneira tímida, a partir da Fase Amarela, que permitiu a retomada dos restaurantes, vinícolas e pontos de venda de produtos rurais", explica, ressaltando que algumas atividades retornaram apenas na Fase Verde.

Uma das principais estratégias para alavancar o fluxo turístico no município tem sido a exploração das redes sociais para dialogar com o público em potencial. "Estamos investindo na produção de um vídeo sobre a região, além de ter sido mantida a participação do circuito em eventos do trade turístico on-line, de maneira mista e presencial", reitera Marcela.

PLANEJAMENTO

O Circuito das Frutas possui, em sua estrutura, um Grupo Técnico (GT) de trabalho que se reúne mensalmente para definir o andamento de todas as ações do destino turístico. "Este GT reúne representantes do setor de turismo e do setor de agronegócio dos municípios que compõe a região. Além do GT, são realizadas reuniões do Conselho de Prefeitos, pelo menos quatro vezes ao ano", explica a diretora, valendo-se de que todas as ações são projetadas em conjunto entre as cidades.

Vale ressaltar ainda que algumas cidades também disponibilizaram relações dos produtores locais para fomentar a venda da safra, além dos itens derivados. Para conferir as atrações completas oferecidas pelos municípios que fazem parte do Circuito, basta acessar este link: https://linktr.ee/circuitodasfrutas

NO ESTADO

O Centro de Inteligência e Economia do Turismo (CIET), da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo, projetou o impacto da pandemia da covid-19 em todas as regiões paulistas e os respectivos cenários da recuperação.

Dos 46,3 milhões de turistas previstos no Estado, o ano deverá fechar com a presença de 29,5 milhões, com a perda de 17 milhões de viagens. Em movimentação financeira, o previsto antes da pandemia chegava a R$ 43 bilhões, mas agora é de R$ 26,1 bilhões, o que resulta R$ 16,9 bilhões a menos.

Dos 29,5 milhões, 20,6 são paulistas viajando para cidades dentro do Estado, pouco mais de 8 milhões virão de outros Estados, além de 817 mil estrangeiros. Esses números consideram os bons resultados de janeiro e fevereiro, período pré-pandemia.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: