Jundiaí

Moradores do Vetor Oeste sofrem com quedas de energia


ALEXANDRE MARTINS
Valdemir Silveira e Cintia Cinara reclamam das quedas de energia
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Moradores do bairro Fazenda Grande, em Jundiaí, no Vetor Oeste de Jundiaí, têm sofrido com as instabilidades de queda de energia recorrente, o que tem afetado a rotina de muitas pessoas.

A oscilação ocorre mesmo sem chuva e tem sido mais frequente nas últimas semanas. O diretor da associação de moradores do bairro, Valdemir da Silveira, de 48 anos, ressalta que a já fez contato várias vezes com o grupo de energia CPFL Piratininga, mas ainda não conseguiu solucionar os problemas. "Nós moradores não sabemos ao certo o motivo de tantas quedas de rede. No último final de semana foram várias oscilações. Já abri chamado na CPFL por meio do aplicativo e inclusive com Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) a qual ainda estou aguardando resposta, mas nós estamos preocupados em até perdemos aparelhos eletrônicos, o que já aconteceu com uma moradora", comenta Silveira que mora no bairro há 10 anos.

Silveira relata que os moradores têm um grupo no Facebook, onde trocam relatos sobre os ocorridos no bairro, e a reclamação referente à queda de energia são constantes. "O problema é no bairro todo e gostaríamos que um técnico da CPFL analisasse o problema o quanto antes, pois quando há queda de rede, às vezes ela volta com tudo e certamente vamos começar a ter problemas maiores se isso se prolongar. Por muitas vezes recebemos respostas automáticas do sistema quando há queda de rede", completa.

PREJUÍZO

A professora Cíntia Cínara Ferreira Spinacé, de 45 anos, também é moradora do bairro e reforça que essa instabilidade tem prejudicado a rotina dos moradores. "Nós estamos passando mais tempo em casa nessa pandemia. Meus filho inclusive trabalha em casa e já aconteceu de ele ter que fazer contato com a empresa e se deslocar até ela para conseguir finalizar suas tarefas porque estávamos sem energia. Isso aconteceu já tem quase um mês e não está relacionado a fatores naturais, como a chuva, por exemplo", diz.

Na rua onde a professora mora as quedas de energia acontecem pelo menos de duas a três vezes na semana e às vezes mais de uma vez ao dia. Fatos que têm agravado sua preocupação. "A TV desliga e liga em instantes, mas ainda bem que ainda não queimou. Na última segunda-feira (9) uma rua próxima a minha casa ficou metade sem energia. Às vezes dentro de casa, alguns equipamentos funcionam outros não, justamente por conta destas oscilações. É uma situação muito preocupante para nós moradores", completa.

DO OUTRO LADO

Em nota, a CPFL Piratininga informou que condições adversas relacionadas a chuvas, fortes ventos, descargas atmosféricas e, às vezes, combinados com vegetação, causaram algumas interrupções não previstas no fornecimento de energia no bairro Fazenda Grande recentemente.

Por conta disso, a companhia tem realizado manutenções emergenciais na rede de distribuição do local para restabelecer o fornecimento aos clientes o mais rápido possível. A distribuidora ressaltou que, para a segurança da população e colaboradores da companhia, bem como para finalização dos trabalhos, algumas unidades consumidoras precisam ser desligadas para a realização dos reparos. Em decorrência disso, os clientes podem perceber interrupções de curta duração na rede, que são necessários para o restabelecimento da energia a todo o sistema.

A empresa ainda ressalta que possui ações previstas na região para garantir a qualidade no serviço prestado e entrará em contato com os clientes, através do consultor de negócios da região, para detalhar melhor essas ações e demais esclarecimentos.

 


Notícias relevantes: