Jundiaí

Campanhas de Multivacinação e Pólio prosseguem até dia 30


Divulgação
Campanha Nacional de Vacinação contra poliomelite
Crédito: Divulgação

A Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente foi prorrogada pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo para até o dia 30 de novembro. Em Jundiaí, o atendimento é realizado nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), de acordo com o horário de funcionamento das salas de vacinas.

O público-alvo são crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade. Será efetuada a verificação da caderneta de vacinas e, se necessário, serão aplicadas as vacinas preconizadas de acordo com a idade. Para todas as crianças de 1 a 4 anos será aplicada uma dose adicional da vacina contra poliomielite, mesmo para aquelas que estão com as vacinas em dia.

Em Jundiaí, de acordo com dados da Vigilância Epidemiológica (VE), órgão da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), até o dia 12 – data da última atualização dos dados -, foram aplicadas 12.345 doses de vacina pólio em crianças de 1 a 4 anos, o que corresponde a 63,80% do total esperado. O objetivo é vacinar 19.350 crianças nesta faixa etária. Nas demais faixas etárias, 5.560 crianças e adolescentes receberam as vacinas da rotina.

É importante observar que essas vacinas são disponibilizadas o ano inteiro nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), durante o horário de funcionamento dos equipamentos. Vale lembrar que, as doses podem ser aplicadas em unidades que não são a de referência.

Importância

Segundo a enfermeira e responsável pela VE de Jundiaí, Maria do Carmo Possidente, a manutenção da carteira de vacinação atualizada é importante para prevenir a reintrodução de doenças. “A não imunização propicia à reintrodução dessas doenças, como foi o caso do sarampo. Em 2019, teve um surto da doença no Brasil, inclusive no Estado de São Paulo, por causa da baixa imunização”, alerta.

O Brasil faz 30 anos que está livre de poliomielite. O último caso registrado no Estado de São Paulo foi em 1988. Contudo, a poliomielite na sua forma paralítica ainda tem ocorrido pela transmissão do poliovírus selvagem no Afeganistão e Paquistão.


Notícias relevantes: