Jundiaí

Aposta na Fase Vermelha dá certo e isolamento aumenta

Um isolamento tão alto não era observado em São Paulo desde o final de agosto


Divulgação
AUJ tem melhores índices de isolamento durante a Fase Vermelha
Crédito: Divulgação

O governo do estado de São Paulo anunciou, no dia 22 de dezembro, que no período de festas o estado todo permaneceria na Fase Vermelha do Plano São Paulo, para que o isolamento aumentasse nesses dias. E deu certo.

Segundo dados do Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo (Simi-SP), entre os dias 25 e 27, o isolamento teve uma média de 48%. Já no período de 1 a 3 de janeiro, a média do isolamento foi de 49%, sendo domingo o dia com o melhor índice, 50%. Um isolamento tão alto não era observado em São Paulo desde o final de agosto.

PELA REGIÃO

Das sete cidades que compõem o Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), apenas quatro têm cálculo de índices de isolamento, já que o Simi divulga dados somente de cidades com mais de 50 mil habitantes. Sendo assim, Jarinu, Cabreúva e Louveira não entram na conta.

Das cidades que têm cálculo de isolamento na Região, Jundiaí tem os piores números. O isolamento na cidade no dia com maior índice foi menor que o de Campo Limpo Paulista, por exemplo, no pior dia de isolamento da Fase Vermelha no município vizinho.

Em Jundiaí, a média do isolamento no Natal, entre 25 e 27 de dezembro, foi de 41%. No Ano Novo, entre 1 e 3 de janeiro, a média foi um pouco mais alta, mas ainda longe do ideal, 42,7%. No entanto, índice alcançado no último domingo (3), 45%, não era registrado desde o início de agosto na cidade.

Campo Limpo foi a melhor cidade da Região no quesito, ficando entre os 20 municípios do estado com os maiores índices de isolamento durante o período de festas. A média no Natal foi de 51%. No Ano Novo, a média foi ainda maior, 51,3%. O dia com o índice mais alto foi o último domingo (3), com 53% da população em casa. Desde agosto a cidade não tinha mais de 50% da população em casa.

Em Itupeva, a média do Natal na Fase Vermelha foi de 47% de isolamento. No Ano Novo, a média foi a mesma, 47%. O dia com o melhor índice, mais uma vez, foi o 3, com 50%. Mas em Itupeva o índice de isolamento não chegava aos 50%, número observado no dia 3, desde julho.

Várzea Paulista teve o segundo pior índice de isolamento, entre 25 e 27 foi 45,3%. Entre 1 e 3, o isolamento ficou em 45,6%. Desde agosto o município não chegava aos 48% de isolamento, índice observado no dia com mais pessoas em casa na Fase Vermelha, o último domingo.

INTERNAÇÕES

Ainda que o isolamento tenha sido positivo, a ocupação de leitos não é das melhores. Em Várzea Paulista, a Unidade de Combate ao Coronavírus (UCC) possui três leitos de retaguarda. Na segunda-feira (4), a ocupação estava em 100%.

Dos 9 leitos de UTI de Itupeva para o atendimento à covid-19, 40%, em média, ficaram ocupados durante dezembro. Os 12 leitos de enfermaria tiveram ocupação média de a ocupação esteve em 60%.

Campo Limpo tem uma unidade semi-covid, com 50% de taxa de ocupação.

Em Jundiaí, segundo o último boletim epidemiológico, publicado ontem (5) pela prefeitura, os 40 leitos públicos de UTI para covid têm 70% de ocupação e os 45 leitos de enfermaria estão com 78% de ocupação.

(Nathália Sousa)

 


Notícias relevantes: