Jundiaí

COLUNA DO MARTINELLI: A gratidão é um conjunto de vários sentimentos: amor, ternura, amizade...


T_martinelli
Crédito: Reprodução/Internet

Comemora-se a 11 de janeiro, o Dia Internacional do Obrigado, cujo objetivo é agradecer àqueles que fazem parte da vida das pessoas e que as ajudam e alegram, só por existirem. A data foi criada através das redes sociais na Internet e se consolidou com o passar do tempo, sendo muito celebrada em muitos locais.

Nesta ocasião, deve-se demonstrar por palavras ou gestos, um fim nobre e sempre necessário, que é o de ressaltar o reconhecimento ao próximo. Com efeito, um “muito obrigado”, pronunciado com sinceridade, de coração derruba barreiras, aproxima os indivíduos, fazendo-os sentir-se filhos do mesmo Pai que faz o sol nascer e brilhar para todos, indistintamente.

Por isso, a comemoração deve se embasar num nível espiritual, capaz de nos inspirar a resgatar o sentimento de gratidão como uma forma simples de acreditar no valor da vida, na importância da convivência pacífica, na esperança de que é possível superar a fome, o desemprego e a violência, a anular preconceitos, derrubar barreiras e aproximar os seres humanos.

Alguns indivíduos, com certeza, fazem o bem por opção e formação próprias. Mas não custa nada agradecermos pelos gestos de boa-vontade que constantemente nos são outorgados por amigos, vizinhos, parentes e às vezes, até por quem não conhecemos.

Reitero que a gratidão é um conjunto de vários sentimentos: amor, ternura, ligação, afeto, emoção, amizade... Não se confunde com badalação ou bajulação. Ao contrário, é poder dedicar, compartilhar uma eventual graça recebida. Ela nos lembra das coisas positivas da existência. Faz-nos felizes com as pessoas e situações, sejam elas queridas, um indivíduo que conhecemos que foi atencioso conosco, ou mesmo um bem-te-vi que canta em nossa janela.

Realmente, quem fica o tempo todo correndo atrás de conquistas externas, acaba não desenvolvendo seu mundo interior nem percebe o tempo passar. Quando se dá conta, vê que nada daquilo valeu a pena. Frustrou-se e causou frustrações em muitos outros que o cercam... Assim tenhamos certeza: a gratulação se frutifica. Por isso, vamos sempre cultivá-la e não deixar para amanhã, o reconhecimento a alguém que pode ser manifestado hoje.

João Carlos José Martinelli é advogado, jornalista, escritor e professor da Faculdade de Direito Padre Anchieta de Jundiaí. Autor de vários livros, entre os quais “Direitos Humanos. Resumo de aulas e crônicas jurídicas” (Ed. In House, 2020). Ex-presidente das Academias Jundiaienses de Letras e de Letras Jurídicas ([email protected])


Notícias relevantes: