Jundiaí

Morte de ciclista reacende debate sobre segurança

A morte de James se deu devido a uma costela quebrada que perfurou o pulmão


ARQUIVO PESSOAL
O empresário James Geraldo, de 56 anos, morreu no último domingo
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

A morte do empresário James Geraldo, de 56 anos, no último domingo (10) enquanto andava de bicicleta, reacende o debate sobre prevenção e segurança durante as atividades físicas, em especial o uso correto de equipamentos de segurança.

Inicialmente noticiada como parada cardíaca, a morte de James se deu devido a uma costela quebrada que perfurou o pulmão. Segundo a namorada de James, a professora Glaucia Dias de Melo, ele não tinha nenhuma doença preexistente e fazia check-up regularmente.

"Como estava sozinho, a hipótese é de que ele caiu, quebrou a costela e teve uma perfuração de pulmão, mas não sabemos o que realmente aconteceu. Se ele se sentiu mal e caiu, se foi algum acidente envolvendo algum carro. A família não tem informações mais concretas, só o que estava no laudo médico", lamenta.

Glaucia ainda dá um alerta. "Mesmo sendo um ciclista experiente, se ele não estivesse sozinho as coisas poderiam ter sido diferentes. Por isso que eu reforço a importância de as pessoas terem atenção aos detalhes que podem ser a diferença entre a vida e a morte", desabafa.

SEGURANÇA

Outra questão que merece atenção é com a saúde. Muitas pessoas costumam praticar atividade física apenas aos finais de semana, porém essa prática pode esconder alguns riscos. Nem sempre se exercitar apenas em dois dias é uma boa alternativa, principalmente quando o esforço realizado é muito intenso.

Segundo o cardiologista Luis Carlos Bettiati Junior, coordenador da Unidade Coronariana do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, antes de iniciar qualquer atividade física de moderada a intensa, é preciso fazer uma avaliação física. "Mesmo uma pessoa jovem quando realiza uma atividade de lazer ou esporte amador, é importante que se faça uma avaliação médica, uma verificação de histórico. O fato de fazer uma atividade só aos finais de semana, o risco é ainda maior pois o coração não está adaptado a tanto esforço físico."

A avaliação médica é necessária em qualquer idade. "O ideal é fazer uma avaliação até nas crianças para detectar históricos e possíveis doenças. Se o médico avaliar, se está tudo normal, então está liberado para a atividade. Acima dos 35 anos, onde o risco é maior de ter alguma doença cardiovascular, é mandatório fazer uma avaliação com cardiologista antes de começar."

O ideal, segundo os parâmetros da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o ideal é praticar uma atividade aeróbica pelo menos quatro dias por semana, com um mínimo de 40 minutos de duração, que podem ser divididos em dois ou três períodos diários.(Daniela Fernandes)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: