Jundiaí

AUJ está preparado para receber doses da vacina

INFRAESTRUTURA Região pretende iniciar a aplicação no dia 25, mas aguarda liberação estadual e federal


DANIEL TEGON POLLI
A técnica de enfermagem, Jaqueline Ferreira, cuida da armazenagem
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

As cidades que fazem parte do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) já se preparam logística e estruturalmente para a campanha de vacinação contra a covid-19 assim que a data for confirmada pelo governo do estado. Com compra de insumos, como seringas e agulhas, treinamento de pessoal e investimento em espaço para armazenamento das vacinas, as cidades se dizem prontas para receber as doses. Em Jundiaí, os investimentos chegam a R$ 500 mil.

Os trâmites finais para a liberação da imunização no Brasil já estão correndo na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O instituto Butantan já pediu o uso da CoronaVac e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) pediu o uso da vacina de Oxford.

Em São Paulo, estado no qual deve ser utilizada a CoronaVac, já há inclusive data para o início da vacinação, dia 25 deste mês, imunizando inicialmente profissionais da saúde, indígenas e quilombolas. Mas o Ministério da Saúde ameaça impedir o estado, para que a vacinação seja iniciada em todo o Brasil ao mesmo tempo.

No município de Jundiaí, câmaras frias foram adquiridas para o armazenamento dos imunizantes, com capacidade para mais de 140 mil doses, além de um plano de vacinação, que deve seguir o plano do governo estadual. Por meio da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), a prefeitura informa que o início da imunização para o primeiro grupo é previsto para o dia 25, no entanto, assim como as demais cidades, Jundiaí depende da liberação das doses por parte dos órgãos responsáveis.

O Paulista anunciou que também vai disponibilizar as dependências do estádio Jayme Cintra para a campanha de vacinação, porém, para esta primeira fase, a prefeitura informa que já há uma rede de postos definidos, priorizando a facilidade do acesso à população idosa e a celeridade no atendimento. Mas, se necessário em outras fases da imunização, o espaço será considerado para a oferta das doses.

PELA REGIÃO

Itupeva: o município deve atender 5.266 pessoas durante primeira fase da vacinação. O município dispõe em sua totalidade de 20 câmaras específicas para armazenamento de vacinas, que comportam 450 mil doses. As unidades básicas de saúde serão os locais para a realização da vacinação nesta primeira fase, com adoção do sistema drive-thru;

Jarinu: a cidade formou uma comissão específica para tratar do tema. A logística para a vacinação já está preparada, na pendência apenas da origem da vacina, se estadual ou federal, para adequação aos critérios exigidos de armazenamento, distribuição e calendário designado pelos órgãos técnicos;

Cabreúva: a secretaria não recebeu o cronograma de Campinas para a entrega das vacinas, mas já há a certeza de que a vacinação será realizada nas unidades de saúde;

Várzea Paulista: montou um grupo de trabalho para vacinação, que também deve seguir o Plano SP. A Unidade Gestora de Saúde da Prefeitura de Várzea Paulista informa que o grupo deverá viabilizar toda a estrutura necessária para a realização das ações, como aquisição de insumos e equipamentos para armazenamento e transporte, além de organizar o calendário de imunização. No município, deve haver três pontos de vacinação nas maiores regiões da cidade e, possivelmente, um sistema de drive-thru na Avenida Projetada. Locais e horários serão confirmados e divulgados posteriormente;

Campo Limpo: o município se diz preparado para a vacinação e, em parceria com governo do estado de São Paulo, ampliou a rede de armazenamento dos imunizantes. Há inicialmente quatro pontos fixos e três pontos de drive-thru para a aplicação do imunizante em Campo Limpo Paulista, mas a cidade aguarda a liberação das primeiras doses, dos insumos e de eventuais alterações federais e estaduais;

Louveira: informa que o material sobre vacinação da covid-19 será informada hoje (13).


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: