Jundiaí

Campanha incentiva prevenção da hanseníase

Apenas do diagnóstico precoce da doença permite diminuir as chances de surgirem incapacidades físicas


A campanha 'Janeiro Roxo' tem como objetivo informar a população sobre os riscos e sintomas da hanseníase, doença causada por uma bactéria que afeta preferencialmente os nervos periféricos (braços e pernas), olhos e a pele.

Apenas do diagnóstico precoce da doença permite diminuir as chances de surgirem incapacidades físicas. A campanha foi criada em 2016 e tem o último domingo do mês como data símbolo. Nesse dia é celebrado o Dia Mundial de Combate e Prevenção da Hanseníase. São 30 mil novos casos da doença no Brasil por ano, que é o segundo país com maior número de casos, perdendo apenas para a Índia.

Segundo Bárbara Hartung Lovato, dermatologista e professora da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), o diagnóstico precoce da doença é de extrema importância."Nossos dois principais desafios são realizar o diagnóstico precoce e garantir a adesão ao tratamento. O médico irá observar detalhes sutis na pele do paciente e avalie alterações de sensibilidade tanto de temperatura quanto de dor e de tato. Apenas dessa forma podemos garantir o diagnóstico antes do surgimento de incapacidades permanentes ou de estigmas irreversíveis da doença", explica.

Em relação ao tratamento, este dura de seis a 12 meses, de acordo com o paciente, mas o mesmo deve se comprometer a não abandonar no meio desse tempo. "É necessário ficar atento a manchas na pele, as quais podem ser claras ou avermelhadas, sobretudo se tiverem alguma perda de sensibilidade local. Em caso de dúvidas ou na presença dessas lesões, sempre procurar um dermatologista para ser avaliado".

O dermatologista deve consultado anualmente.

(Daniela Fernandes)

 


Notícias relevantes: