Jundiaí

Jundiaí deve ter vacina até o fim desta semana

VACINAÇÃO A cidade está pronta para começar a imunizar profissionais da linha de frente da pandemia


Divulgação
Tiago Texera diz que a vacinação começará assim que as doses chegarem
Crédito: Divulgação

Segundo o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) de Jundiaí, Tiago Texera, o município deve receber as primeiras doses da vacina contra a covid-19 ainda nesta semana e, após o recebimento, a aplicação deve ser iniciada ainda no mesmo dia.

"Nós devemos receber a vacina direto do governo do estado nesta semana. Nossa previsão é que chegue na quarta-feira (20). A entrega será no local onde ficam armazenadas, onde há as câmaras frias. A partir de lá, as doses serão distribuídas imediatamente para os locais onde os profissionais de saúde trabalham, inicialmente os que atuam na linha de frente do combate à pandemia, e será iniciada a imunização. Dependendo do horário que chegar, no mesmo dia começa a distribuição", diz ele sobre a preparação para a logística e o início da vacinação.

O gestor dá detalhes sobre este primeiro momento da imunização. "É estimado que em Jundiaí 15 mil profissionais da saúde vão receber esta vacina na primeira fase, mas não chega tudo de uma vez, então quem atua na linha de frente vai tomar a vacina primeiro. Em seguida, os demais profissionais da saúde receberão a vacina. Depois haverá vacinação nas instituições de longa permanência de idosos (ILPIs) e posteriormente o público idoso geral, com mais de 60 anos, de forma escalonada, por causa do volume de entrega da vacina", explica.

Nesta primeira etapa, que imuniza profissionais da saúde e idosos, com previsão de atender 80 mil pessoas em Jundiaí, o período estimado é até abril. Para outros grupos prioritários, há agendamentos ao longo do ano, no entanto, toda a imunização em Jundiaí, segundo Texera, deve se estender até o início de 2022. Por conta disto, o gestor reitera a importância das normas sanitárias continuarem sendo seguidas.

"O efeito positivo para este primeiro grupo imunizado vai se dar só em maio, junho. A primeira etapa vai levar um tempo para melhorar os indicadores, por isso é importante continuar usando máscara, o distanciamento. Temos capacidade plena de vacinar todos no município, só dependemos da quantidade de vacina que chegar. O Plano Municipal de Imunização prevê de 5 a 26 pontos estratégicos em Jundiaí para a vacinação, quando começar a etapa dos idosos. Os 26 pontos estão prontos, mas dependemos da quantidade de vacina que vamos receber", explica.

Ontem (18), a distribuição da vacina do Butantan foi iniciada pelo estado de São Paulo. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o envio de doses da vacina do Butantan começou a ser realizado para os hospitais-escola regionais, no interior, para priorização dos profissionais de saúde. Receberam os Hospitais das Clínicas de Campinas, Botucatu, Marília, Ribeirão Preto e Hospital de Base de São José do Rio Preto. A primeira vacinada no interior de São Paulo foi a técnica de enfermagem do HC de Campinas (Unicamp), Liane Santana Mascarenhas Tinoco, de 49 anos. A partir de hoje (19), grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às prefeituras.

ESPERA

Médica intensivista da UTI do Hospital São Vicente de Paulo (HSV) e pertencente ao primeiro grupo a ser imunizado, Milena Leão conta sobre a expectativa para receber a vacina. "A expectativa é de esperança, não de cura, mas pelo menos de desacelerar o contágio. A gente acredita na vacina, acredita na ciência, mas os cuidados devem continuar, a doença ainda não acabou e a vacina não vai mudar isso agora."

"O medo foi constante, estou há 10 meses na UTI do São Vicente, larguei outros empregos para me dedicar aos pacientes. Agora dá um certo alívio, as pessoas podem ter a doença, mas não de forma grave, ajuda a diminuir a quantidade de óbitos que temos neste momento", diz ela, alertando sobre o cuidado, que não deve ser cessado, mesmo com a vacinação.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: