Jundiaí

Anticorpos ficam mais potentes

De acordo com pesquisa, a imunidade para quem já teve a doença pode durar, no mínimo, 6 meses


Uma pesquisa publicada nesta segunda-feira (18) na revista científica "Nature", uma das mais importantes do mundo, sugere que os anticorpos para covid-19 em pacientes que tiveram a doença ficaram mais "potentes" 6 meses após a infecção.

Isso significa que a imunidade para quem já teve a doença pode durar, no mínimo, esse tempo. O estudo é liderado por brasileiros e outros pesquisadores da Universidade Rockefeller, nos Estados Unidos.

"Os anticorpos melhoraram em termos de potência e diversidade. Eles conseguiram neutralizar diversas variações da corona [a 'coroa' do coronavírus]", explica o brasileiro Julio Cesar Lorenzi, um dos líderes do estudo.

A resposta para os anticorpos "reforçados" está nas células B, um tipo de célula de defesa do corpo. Elas têm a função de reconhecer o antígeno do coronavírus - uma parte do vírus - e criar os anticorpos contra ele.

A análise mostrou que os níveis de células B de memória específicas permaneceram os mesmos nesse período - e que os anticorpos que elas criaram seis meses depois da primeira infecção foram mais "fortes" que os originais.

 (Das agências)

 


Notícias relevantes: