Jundiaí

Programa Caminhos Sustentáveis pavimenta 45 km de vias em áreas rurais


@pedroamora
Captação de água pluvial também está sendo realizada
Crédito: @pedroamora

Redução da poeira nos períodos de calor e o fim do barro em épocas de chuva, mais saúde e qualidade de vida. Esses foram alguns dos benefícios que os moradores dos bairros que receberam as obras de pavimentação do Caminhos Sustentáveis, realizado pela Prefeitura de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos (UGISP) ganharam. Ao todo, foram 45 quilômetros de novos pavimentos, o equivalente à distância de Jundiaí até Campinas.

O Caminhos Sustentáveis é uma das fases do programa Mais Asfalto, destinado às melhorias das condições das vias de tráfego nas estradas rurais de Jundiaí e contempla o Rio Acima, o Champirra, o Terra Nova, o Jardim Copacabana, o Corrupira, o Espelho D’Água, o Caxambu e o Medeiros. O investimento, somente nessa fase, foi de R$ 13 milhões.

O programa está em fase de conclusão, atualmente estão sendo realizadas obras no Rio Acima, no loteamento Betinha e Sítio Copacabana, que devem ser concluídas em fevereiro deste ano.

Flávio Antonio dos Santos é morador do Rio Acima há 51 anos e comenta sobre a chegada do pavimento no bairro. “A minha rua será uma das próximas a receber a pavimentação, mas já sentimos muito a diferença das vias que estão prontas. Chega até a emocionar a melhoria na qualidade de vida e de saúde que a obra proporcionou. Nos dias quentes era muito pó e quando chovia o barro atrapalhava. Já tivemos que desviar o caminho para fazer o trajeto necessário”, conta o morador.

 

PAVIMENTO ECOLÓGICO

Caminhos Sustentáveis se diferencia pelo uso do “pavimento ecológico”, produzido com cascalho, por exemplo, material que existe nas estradas pavimentadas. Podem ainda ser acrescentados agregados reciclados produzidos pelo Centro de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Jundiaí (Geresol). Esse tipo é próprio para estradas vicinais.

“Nesse tipo de pavimento não utilizamos nenhum tipo de material proveniente de pedreiras, com isso não há detonação de dinamites, há redução do tráfego de caminhões e, consequentemente, de emissão de gás carbônico. Além disso, o custo dele é 40% inferior ao do pavimento tradicional, com isso conseguimos fazer uma maior extensão de vias”, comenta o gestor da UGISP, Adilson Rosa.

“O Mais Asfalto vem melhorando a vida de milhares de pessoas, que podem trafegar por vias bem pavimentadas e sem buracos e com mais segurança”, ressalta o prefeito Luiz Fernando Machado.

Com a nova pavimentação ainda é gerada uma economia anual de aproximadamente R$ 3 milhões aos cofres municipais. “Essa tecnologia reduz a quantidade de serviços das equipes de manutenção, principalmente em épocas de maior incidência de chuvas como a que estamos agora”, explica Rosa.

A produção desse asfalto é na recicladora, um equipamento que lembra um grande trator, dotado de um potente cilindro dentado. Esse maquinário tritura o material existente juntamente com cimento portland previamente aplicado sobre o leito da estrada.

Em seguida, essa mistura é compactada com alta energia, por rolos vibratórios. O resultado é uma base que tem alta capacidade de resistência à carga. Para finalizar, sobre a base é aplicada uma camada de revestimento asfáltico, feito com asfalto-borracha.

Como complemento do Caminhos Sustentáveis, a UGISP está fazendo o levantamento dos pontos para promover a melhoria no sistema de captação de água, com a implantação de canaletas.

 

MAIS ASFALTO

O programa Mais Asfalto teve início em meados de 2019, ao total, foram recapeados mais de 807 mil metros quadrados de ruas e avenidas, foram 110 vias, sendo 101 com recursos do Finisa, do Governo Federal, e o restante com dinheiro de convênios firmados pela Prefeitura. O investimento nesta fase foi superior a R$ 41 milhões, sendo R$ 39 milhões destinados pelo Finisa e o restante por convênios de emendas parlamentares.


Notícias relevantes: