Jundiaí

Dicas para superar os desafios da volta às aulas

ESCOLAS Para orientar os pais nesse processo, profissionais deram dicas para ajudar na adaptação


Arquivo pessoal
Daniela
Crédito: Arquivo pessoal

Os desafios da voltas às aulas no ano letivo que se inicia requerem atenção tanto por parte dos profissionais das escolas quanto por parte das famílias. As mudanças trazidas pela pandemia geraram impacto na vida das pessoas, e com as crianças não foi diferente. Para orientar os pais nesse processo, conversamos com profissionais que deram dicas de como ajudar nesta adaptação.

Segundo a psicóloga Daniela Batacline, a volta às aulas mesmo que apenas algumas vezes na semana traz benefícios ao aluno. "Vejo que o novo modelo de ensino, integrando o método on-line com o presencial, que se iniciará neste semestre, facilitará o acesso a uma educação de maior qualidade, pois temos que considerar que não foram todos os alunos que se adaptaram às aulas on-line. Diante de um longo período sem aulas presenciais e ainda por estarmos vivendo um cenário de pandemia foi necessário realizar essas duas combinações, presencial e on-line, para uma melhor aprendizagem."

Mesmo no ensino híbrido, a interação das crianças com outras pessoas é relevante. Para pedagoga Monique Oliveira da Silva, mesmo as poucas horas devem ser valorizadas. "Para as crianças pequenas esse convívio e interação com outras crianças e espaços oportunizam a experiência com o novo, com o diferente, vivendo em comunidade e se reconhecendo como indivíduo. Claro, todos os devidos cuidados de higiene e distanciamento devem ser garantidos pela escola, e os pais e responsáveis devem contribuir para esse cuidado, mas a retomada das aulas presenciais pode ser apresentada aos pequenos como algo positivo, transmitindo a eles uma segurança e sensação de cuidado."

ATENÇÃO COM O EMOCIONAL

Daniela destaca que o estado emocional das crianças deve ser acompanhado com atenção. "Ressalto a importância dos pais e também dos professores ficarem atentos durante essa fase de adaptação ao estado emocional das crianças. É comum o olhar se voltar apenas para os sintomas físicos e a parte emocional acaba ficando de lado. Observar os comportamentos diferentes ou incomuns das crianças é essencial. Crianças pequenas se sentem mais seguras em rotinas bem definidas, portanto se perceber alguma alteração no comportamento é bem provável que a criança esteja passando por uma dificuldade na adaptação. É fundamental que os pais estejam envolvidos na vida escolar dos filhos. Quanto mais a família participar e estar interessada nesse processo, melhor vai ser a adaptação da criança."

APOIO FAMILIAR

Segundo Monique, a participação da família é importante em todo processo de adaptação e desenvolvimento da criança. "É importante deixar claro para as famílias que sua parceria com a escola é de extrema importância. O desenvolvimento e aprendizagem das crianças só são possíveis quando há um vínculo e apoio mútuo entre famílias, comunidade e escola, criando um ambiente saudável e desafiador, com experiências e vivências. A escola não pode ser substituída, isso é fato. Muitas famílias mostram estar preocupadas e por vezes, se culpam por não saberem o que fazer para contribuir nos estudos das crianças, mas o que devem ter em mente é a garantia de um espaço (casa) disposto a estimular e desafiar a criança.

Monique reforça que as atividades em casa são fundamentais para as crianças. "Apresentar uma rotina que ofereça autonomia e garanta momentos de brincar com jogos de cartas e tabuleiro, inventar brincadeiras, explorar a natureza da casa, plantar e cultivar plantas e flores, se exercitar, conversar, ler livros físicos ou digitais, escrever e estudar. Criar uma rotina conjunta com a criança, nos espaços possíveis, onde diversas aprendizagens podem se desenvolver. Esse é o papel mais importante, e talvez o mais árduo, que as famílias podem exercer. Incentivar e acreditar no potencial e capacidade dos pequenos. A escola precisa estar à frente da consolidação das aprendizagens das crianças, esse é o nosso papel, que estamos buscando garantir de todas as formas possíveis."

ROTINA

Segundo a psicóloga Priscila Caroline Viotti da Silva, para a criança que está em fase de alfabetização, a rotina é importante. "Para as crianças que estão em período de alfabetização, ir até a escola pode ser um fator importantíssimo no aprendizado, já que estudar em casa pode ser um pouco difícil, pois contamos com vários elementos que podem tirar a atenção dos pequenos. A rotina é essencial. Quando estão em casa tentar manter os mesmos horários dos dias que eles vão até a escola pode ajudar. Além de paciência por parte da família para auxiliar as crianças no que for preciso."

ANSIEDADE

Daniela ainda orienta sobre como lidar com os impactos emocionais. "O impacto emocional devido ao isolamento social gerou e ainda está gerando um perceptível aumento no nível de ansiedade, insegurança e fobias. Com isso, faz-se necessário que os pais busquem o acolhimento, pois se a família estiver amparada no sentido de orientações e apoio com certeza esse novo processo será mais positivo. Os pais podem conversar com os filhos sobre o que mais gostaram durante a aula, demonstrando interesse na vida escolar. É importante também os pais acompanharem as informações da escola, as recomendações dos professores. Ser participativo também desse novo processo. Pois, é algo novo para todos, pais, alunos e escola. E é bom ressaltar que todas as mudanças, normalmente, geram incômodo."

 

Credito: ARQUIVO PESSOAL / Descrição: PRISCILA


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: