Jundiaí

Excesso de calor é prejudicial para pessoas e animais

A cidade está em Estado de Observação, por conta das possíveis pancadas de chuva


ALEXANDRE  MARTINS
Carmem Pierobon se preocupa com os animais neste calor intenso
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Neste último final de semana, São Paulo bateu recorde de temperatura chegando aos 34,1ºC. Em Jundiaí, a variação da semana está entre 21ºC e 33ºC, deixando a cidade em Estado de Observação, por conta das possíveis pancadas de chuva.

E, justamente esta sensação de calor e baixa umidade do ar é que deixam as pessoas com mal-estar e desidratadas.

O médico da família e professor da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), Marco Aurelio Janaudis, reforça que os principais problemas que o calor excessivo pode causar estão a desidratação, a alteração da pressão, o cansaço, a fraqueza e a sensação de fadiga. "A principal medida de precaução é a hidratação, que deve ser feita durante o dia todo. Ao invés de tomar um litro de água de uma vez, é importante tomar menos quantidades, por exemplo, 200 ml a cada duas horas".

Para aliviar a sensação térmica do corpo sem precisar retirar a máscara, Janaudis recomenda utilizar um tecido que seja eficiente para combater o vírus, mas que ao mesmo tempo seja leve, como por exemplo, as máscaras cirúrgicas.

Para os amigos Ademir Silva Duraes e Priscila Michele Dias Duraes, tomar sorvete tem sido uma boa forma de amenizar o calor. "O calor está muito forte e por isso precisamos nos refrescar", diz Ademir.

Segundo Ana Paula Occom, os dias estão muito quentes e é importante procurar se hidratar sempre que possível. "Eu preciso beber muita água durante o dia para me sentir hidratada."

Ainda de acordo com o especialista, é sempre interessante ficar em lugares arejados e usar roupas leves e de cores claras para não absorver muito calor. "Outra dica é sobre o uso do ar condicionado, pois ele deixa o ambiente mais seco ainda. No carro, por exemplo, ao ligá-lo, deixe uma frestinha do vidro aberta para entrar um pouco do ar de fora, que estará mais úmido que o de dentro", diz.

PETS

A veterinária Carmen Silvia Pierobon avisa sobre os problemas que este calor pode trazer também para os animais. "Insolação e desidratação são os principais perigos, principalmente para animais de focinho chato, como Bulldogs e Pugs, que podem levar a problemas respiratórios", comenta.

Ao levar os animais para um passeio, é preciso evitar o horário de estresse, logo após 10h da manhã. Por causa do tempo seco, os animais respiram com mais dificuldades, além de poderem queimar as patas e causar insolação, podendo ocorrer um colapso cardiorrespiratório.

É necessário proteção nos horários de 10h às 16h para raças de pelagem branca, para evitar dermatites solares até câncer de pele.

Oferecer água diretamente na boca e procurar locais com mais vegetação e sombras. "Lembrar de levar bastante água, pois além do consumo, é importante molhar os animais, molhar a cabeça, o focinho e a região do pescoço", afirma.

Dentro de casa, é importante trocar várias vezes a água, podendo colocar algumas pedras de gelo para refrescar. E não é necessário deixar o ventilador e o ar condicionado em força máxima, pois poderá causar problemas respiratórios, como pneumonia. Para manter a umidade dentro dos ambientes, bacias de água, modificadores e toalhas úmidas no chão resolvem o problema. "Alguns animais gostam de molhar as patas ou se molhar por inteiro, como defesa contra o calor. Por isso é bom deixar recipientes com água pela casa", afirma.

A semana será de muita nebulosidade, períodos com sol, pancadas de chuva quase sempre à tarde e à noite, muitas delas de forte intensidade e aquela sensação de abafamento constante, por causa do predomínio de ar quente e úmido, costumam marcar este período do ano.

(Lucas Hideo)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: