Jundiaí

Safras de pitaia, maracujá azedo e goiaba estão no auge da colheita

PRODUÇÃO A melhor época para as frutas, que têm se adaptado bem a região, é de novembro a abril, por conta do clima, e possuem fácil manuseio e comercialização


ALEXANDRE MARTINS
Caique Armagne Rosenberger comercializa a fruta de R$12 a R$15 o quilo
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

O consumo de frutas no país tem se destacado pelo sabor, variedade e preço e como há safra para cada mês do ano, os agricultores apostam em diferentes espécies para conseguir ter produto o ano inteiro. Em Jundiaí, segundo a Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT), as frutas que estão em fase de colheita no momento são goiaba, pitaia e maracujá azedo. Frutas que têm deixado os agricultores satisfeitos.

O produtor de pitaia Caique Armagne Rosenberger iniciou sua produção no Medeiros há um ano e já vê a produção render frutos. "A safra da pitaia se inicia em meados de novembro e pode chegar até abril. A produção das frutas já está boa, porém o ápice será aproximadamente daqui dois anos", diz.

O produtor conta que apesar de ainda pouco conhecida, a fruta se adapta muito bem a nossa região. "Quanto ao manejo, a fruta demanda menos trabalho comparado à uva, por exemplo. Entre os cuidados, ela exige podas regulares, bom manejo do solo e um cuidado especial com pragas e doenças. Apesar de ser da família das cactáceas, tolera água e se desenvolve bem em clima quente, por isso, sua safra é no auge do verão", explica.

O valor da pitaia varia bastante de acordo com a demanda. "No início de dezembro à janeiro o valor médio do quilo da fruta foi entre R$12 a R$15 para o consumidor final, mas por ser uma fruta exótica, pode chegar a R$20 o quilo", explica Rosenberger.

Apesar de pouco consumida e com um preço elevado, aos poucos a fruta está sendo bem aceita. "Cada vez mais os consumidores buscam por sua beleza exótica e benefícios à saúde", conta o produtor.

O tradicional maracujá azedo também está no auge de sua safra. O produtor Cleber Sperandio afirma que a fruta, plantada no último ano, está dando um bom retorno. "Comecei a colher em novembro e a produção ainda está na metade, mas já colhi mais de 100 caixotes com 15kg a 17kg. O maracujá é uma fruta de fácil comercialização. Estava vendendo por R$10 o quilo e agora o preço está um pouco mais baixo, a R$7 o quilo", explica.

Jundiaí não possuem muitos produtores de maracujá e isso faz com que a produção de Sperandio seja novidade. "Estou bem contente com os resultados e retorno. As frutas estão se adaptando bem e acredito que ainda vá melhorar conforme o passar do tempo e o aumento das chuvas", afirma.

Benefícios

O consumo de frutas traz inúmeros benefícios para a saúde. A pitaia, por exemplo, tem um grande poder antioxidante. A fruta ainda protege as células, ajuda na digestão, na pressão e combate a anemia porque é rica em vitaminas e minerais.

O maracujá azedo é uma fonte abundante das vitaminas A, C e outras do complexo B. Apresenta boa quantia de sais minerais, entre eles o cálcio, ferro, fósforo e sódio, além de ser um ótimo calmante natural e rico em fibras que ajudam na digestão, emagrecem e ainda previnem e controlam a diabete.

Já a goiaba, auxilia na digestão, por ser fonte de fibras, na saúde da pele, retardando o envelhecimento, pois contém grandes quantidades de licopeno e é uma excelente antioxidante, por conta da quantidade de vitamina C presente na fruta.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: