Jundiaí

Vacina não é o motivo do óbito de Milton Zimbon

Motivo da morte do idoso de 94 anos foi um aneurisma dissecante da aorta, patologia pré-existente


Arquivo pessoal
Milton Zimbon foi ilustre atleta de Jundiaí, conhecido por todo o estado
Crédito: Arquivo pessoal

Segundo o Serviço Verificação de Óbito (SVO) de Jundiaí, o motivo da morte do idoso de 94 anos após a vacinação de covid-19 na noite de terça-feira (9), no Parque da Uva, foi um aneurisma dissecante da aorta, patologia pré-existente, sem qualquer relação com a substância da vacina aplicada.

A Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) informa que a segurança da vacina é validada pelo Instituto Butantan, parceiro do laboratório chinês Sinovac, responsável pelo desenvolvimento do imunizante.

Além da necropsia que já constatou a causa da morte, será realizada investigação pela equipe da Vigilância Epidemiológica (VE) para a avaliação pregressa do caso, com histórico médico, patologias pré-existentes e medicações utilizadas. A ação é realizada em todos os casos semelhantes, fazendo parte do protocolo de Saúde.

CAUSA

O paciente, após o mal súbito, foi conduzido ao Hospital São Vicente de Paulo (HSV) onde foi constatada a chegada já em óbito. Mediante o protocolo para as ocorrências, foi registrado boletim de ocorrência e o corpo encaminhado para o SVO para a necropsia, resultando na identificação da causa da morte.

Segundo o cirurgião vascular e professor-adjunto da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ) e do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), Ayrton Cassio Fratezi, o aneurisma pode não ter fácil diagnóstico. "O aneurisma de aorta acontece devido a uma dilatação do órgão, uma fraqueza na parede da artéria que está relacionada a uma patologia. No caso desse idoso, provavelmente o aneurisma aconteceu devido à arteriosclerose, que faz com que a aorta vá se dilatando progressivamente. A aorta abdominal é a mais comum de ter aneurisma e ele pode não dar sintomas. É possível que esse idoso não soubesse que tinha o aneurisma."

Segundo explica, a aorta vem do coração, então a ruptura causa a morte em segundos. O idoso pode ter ficado tenso e teve um leve aumento de pressão, que causou a ruptura da artéria. "Acredito que não teve nenhuma relação com o uso da vacina. A vacina, a meu ver, não dá este tipo de complicação. Foi uma fatalidade", ressalta o médico, que defende a continuidade da vacinação.

Ele conta que seu próprio pai, um idoso de 92 anos foi vacinado há dois dias em Jundiaí. "Eu também tomei a primeira dose fornecida pela Prefeitura de Jundiaí e não tive reações. Acho que no caso deste senhor que veio a falecer, os dados da autópsia podem acrescentar mais informações. Saliento que a vacina deve ser aplicada e que não provoca aneurismas, bem como rotura de aneurismas", afirma Fratezi.

O cardiologista do Hospital de Caridade São vicente de Paulo (HSV), Wagner Ligabó, diz que o caso foi, de fato, uma fatalidade. "Tive acesso ao laudo do legista e o idoso tinha um aneurisma bastante grande e tinha sinais de arteriosclerose. Uma aorta com calibre normal tem de 35mm a 40mm, quando passa de 55mm, 60mm já é preocupante e, em um pico de pressão, o aneurisma pode romper. Provavelmente, no momento da vacinação, ele ficou ansioso e a pressão subiu. Em 30% dos casos de rompimento de aneurisma da aorta a pessoa morre na hora e em 50% dos casos a pessoa morre na primeiras 36 horas após o incidente", explica o cardiologista.

MEMÓRIA

Lembrado com carinho, Milton Zimbon era atleta da natação do Time Jundiaí, sendo o mais velho da delegação do município a atuar nos Jogos Regionais do Idoso (Jori), competindo pela última vez em 2018.

O Time Jundiaí, por meio de nota nas redes sociais, lamentou o ocorrido. "Partiu, mas deixou um legado muito importante. Seu olhar de confiança e suas palavras de esperança, sempre otimista. Com sua alegria contagiante e uma 'saúde de ferro', por onde passou, foi inspiração e exemplo de sensibilidade, caráter, superação e alegria de viver!", descreve.

CAMPANHA

Nos dois primeiros dias foram aplicadas 881 doses, sem qualquer relato de reação adversa grave registrado pela Vigilância Epidemiológica (VE).

A vacinação terá continuidade na cidade, segundo cronograma disponibilizado no site da prefeitura. O agendamento do próximo grupo, de 85 anos ou mais, começou ontem (10) às 20h e será realizado pela internet, com a oferta das doses entre segunda-feira (15) e quinta-feira (18), também no Parque da Uva, em sistema drive-thru. Para os que não conseguem se deslocar até o Parque da Uva, a Central de Agendamento de Consultas (CAC) realiza o agendamento com data e hora marcada para a aplicação em residência ou em UBS referenciada.

(Nathália Sousa)


Notícias relevantes: